Insólito

Paquistão: Foi violada e agora é condenada por perder a virgindade fora do casamento

mulher_paquistao_1Esta história merecia na realidade uma categoria com o nome ‘Chocante’, mas infelizmente não a temos e não deixa de ser algo verdadeiramente insólito, com um i bem grande. Inacreditável, é a palavra que se adequa a este caso de um país que não é de terceiro mundo, talvez de quarto ou quinto, se isso existisse de facto.

Vamos por partes. Em 2007, Kainat Soomro saía da escola quando foi raptada e agredida por três homens que depois a violaram várias vezes durante três dias. A jovem, imagine-se, tinha apenas 13 anos mas conseguiu fugir e pedir ajuda às autoridades.

Agora com 17, e ao fim de quatro anos, Kainat enfrenta um processo que coloca em causa tudo o que se conhece sobre direitos humanos. Segundo a lei paquistanesa, uma mulher não pode perder a virgindade fora do casamento. Esta legislação é certo que não é única nem tão pouco nova, mas na verdade não há especificação para casos de violação, ou seja, o facto de ter sido contra a sua vontade, o facto de ter sido praticado um crime bárbaro contra a jovem, de nada importa aos olhos da justiça do Paquistão.

A sua família já mudou de cidade e continua a tentar de tudo para que não se cometam mais crimes, desta vez contra os direitos humanos obviamente.

A tribo, de que todos os envolvidos fazem parte, não avançou com qualquer castigo para os violares e acha que as declarações da jovem não chegam. Por fim, condenou-a à pena de morte.

A família tenta agora a todo o custo evitar a perda da sua filha e vai tentar apresentar o caso ao Supremo Tribunal do Paquistão.

Mais partilhadas da semana

Subir