Banca

Lucro do Banco Finantia aumenta 38 por cento para 42,3 milhões em 2017

O Banco Finantia teve lucros de 42,3 milhões de euros em 2017, mais 38 por cento do que em 2016, divulgou hoje a instituição em comunicado.

O Finantia, que comemorou 30 anos em 2017, diz que estes “foram os melhores resultados da última década”.

O ano passado, o banco teve um produto bancário, após imparidades e provisões, de 77,6 milhões de euros, mais 19 por cento do que o registado em 2016, o que diz se dever sobretudo às comissões líquidas e outros proveitos, que avançaram 37 por cento para 26,6 milhões de euros”.

Já a margem financeira foi de 59,9 milhões de euros, o que o banco refere ser “sensivelmente idêntica ao ano anterior”.

Os custos operacionais foram de 23,8 milhões de euros, mais 5,3 por cento do que em 2016.

No balanço, os depósitos eram de 803 milhões de euros no final de 2017, mais 8 por cento do que em 2016.

“Este aumento segue a tendência positiva dos últimos anos e confirma a confiança dos clientes no Banco Finantia, tanto em Portugal como em Espanha”, refere a entidade.

Os depósitos de clientes aumentaram para 803 milhões de euros, um crescimento de oito por cento em relação aos 740 milhões euros registados no ano anterior. Este aumento segue a tendência positiva dos últimos anos e confirma a confiança dos clientes no Banco Finantia, tanto em Portugal como em Espanha.

Os ativos totais representavam 1.989 milhões de euros no final de 2017, mais 10 por cento do que no fim de 2016, o que o banco diz que traduz “o crescimento das atividades”.

O banco fechou ainda 2017 com um rácio de solvabilidade CET1 de 23 por cento com todas as regras executadas, o que diz ser “um dos mais elevados da banca europeia”.

Além de Portugal, onde opera em banca privada (para clientes de mais altos rendimentos, mercado de capitais e banca de investimento), o Finantia tem filiais em Espanha, Reino Unido Malta, Estados Unidos e Brasil.


Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir
error: