Fórmula 1

Williams revela um FW43 para deixar a cauda do pelotão da F1

A Williams apresentou hoje o seu novo monolugar para a temporada 2020 de Fórmula 1 – o FW43.

Tal como sucedeu com outras equipas a formação de Grove já fez rodar o novo carro num ‘shakedown’ para filmagens em Barcelona, sendo que o FW43 tem a dura tarefa de inverter os maus desempenhos que levaram a equipa a terminar em último no Campeonato do Mundo de construtores do ano passado.

Uma das coisas que ressalta de diferente é a decoração, onde o vermelho do patrocinador principal – a marca de ferramentas Rokit – surge em maior destaque embora o branco e o azul – agora em menor densidade no ‘cockpit’ e ‘nariz’ do carro ainda façam parte.

George Russell, que guiou o novo monolugar em Barcelona, e Nicholas Latifi vão contar com um carro que não contraria o conceito do seu antecessor, o FW42, apesar de todos os defeitos que se lhe possam apontar.

Doug McKieman, responsável pelo design, explicou que foi dada “uma grande atenção à compreensão das zonas problemáticas do FW42”, e que a sua equipa escolheu “criteriosamente as partes do carro a desenvolver, aquelas” que proporcionarão “mais performances para os recursos” de que a Williams dispõe.

“O indicador mais importante de que estamos no bom caminho será ao nível da correlação que temos entre as nossas ferramentas para conceber o carro e o que as pistas nos dirão. Tivemos um desenvolvimento são no túnel de vento, e encontramos melhorias razoáveis na eficácia do arrefecimento”, garante o técnico britânico.

McKieman diz que foram abordados os problemas mecânicos que afetaram o carro de 2029, “nomeadamente os travões e o peso total do carro”. Áreas onde a Williams fez bons progressos, e prometeu continuar a concentrar-se neles ao longo da época.

Com “menos recursos no desenvolvimento de novos conceitos. A Williams poderá abordar de forma mais serena um novo conceito no monolugar de 2021 (quando entrarem em vigor novos regulamentos”, diz o responsável de engenharia, Adam Carter.

Para a diretora da equipa de Grove, Claire Williams, 2020 deve constituir uma nova etapa na história da equipa: “Este ano marca um novo começo para a equipa. Demoramos tempo a estudar os nossos pontos fracos e asseguramos-nos de ter as pessoas, as estruturas e os recursos certos para conceber carros de corrida competitivos”.
.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir