Desporto

‘Wild-cards’ Vasco Ribeiro e Miguel Blanco confiantes num bom resultado em Peniche

Os surfistas portugueses Vasco Ribeiro e Miguel Blanco, ambos convidados do Meo Rio Curl Pro Portugal, 10.ª e penúltima etapa do circuito mundial, mostraram-se hoje confiantes e com mais experiência adquirida para obter bons resultados em Peniche.

“Um bocadinho de sorte faz parte, porque é uma onda difícil e muda muito. Tenho que ser consistente, estar concentrado e com vontade de ganhar”, começou por referir Vasco Ribeiro, campeão do mundo de juniores de 2014 e atual 20.º do circuito de qualificação.

À margem da apresentação da prova penicheira, cujo período de espera decorre entre terça-feira e 27 de outubro, na praia de Supertubos, Vasco não escondeu a vontade de repetir a prestação alcançada em 2015, quando chegou às meias-finais, naquele que é o melhor resultado de um português na competição.

“É [preciso] um Vasco a surfar o seu melhor e confiante. Pode ser um ano muito bom para todos e esse terceiro lugar foi um resultado muito bom. Quero tentar melhorar”, contou o surfista que vai participar pela terceira vez na etapa portuguesa.

Ainda assim, o principal objetivo de Vasco Ribeiro passa por ingressar na elite mundial do surf e juntar-se ao compatriota Frederico Morais: “Estar ao pé dele é o objetivo, estarmos os dois a competir e a representar Portugal ao mais alto nível.”

Já Miguel Blanco, 102.º na qualificação, vai disputar pela segunda vez a prova penicheira, num momento da carreira que considera estar mais preparado.

“Já viajei muito, tenho competido com os melhores do mundo várias vezes e tenho bastante mais experiência. Sinto que estou muito melhor preparado para este campeonato”, sublinhou.

Blanco, que recebeu o convite para Peniche depois de se ter consagrado campeão nacional, revelou que os últimos meses foram muito bons, agradecendo a oportunidade de se juntar a Vasco Ribeiro e a ‘Kikas’ na praia de Supertubos.

“Os últimos dois meses têm sido incríveis. Está tudo a acontecer de uma vez. Vim da Indonésia, apanhei algumas das melhores ondas da minha vida e acabei por ser capa da ‘Surfer’. No campeonato nacional não tinha muitas hipóteses e acabei por sair vitorioso. Este ‘wild-card’ é a cereja no topo do bolo e uma oportunidade excelente”, resumiu.

A partir de terça-feira, Peniche recebe a elite do surf mundial pela 10.ª vez consecutiva, depois da estreia, em 2009, com a organização do Rip Curl Search.

Mais partilhadas da semana

Subir