Economia

Voos da Ryanair cancelados geram mais de 300 queixas só na DECO

Em apenas uma semana, a associação de defesa do consumidor DECO recebeu 301 queixas contra a Ryanair. Os passageiros afetados por voos cancelados exigem que a empresa assuma as responsabilidades.

Desde setembro que a companhia aérea irlandesa tem cancelado centenas de voos. Os dados revelados pela própria Ryanair referem o cancelamento de 2100 ligações, que afetaram 315.000 passageiros.

“As primeiras reclamações surgiram há uma semana e já temos 301 reclamações até à manhã de hoje”, adiantou Paulo Fonseca, jurista da DECO, em declarações à Lusa, acrescentando que a maioria das queixas se relaciona com o pedido de indemnizações e compensação por outros danos sofridos pelos passageiros.

A DECO salientou ter recebido da Ryanair uma promessa de resolução de todos os diferendos, mas acusou a transportadora de violar os deveres de informação: deu a conhecer (através do site) que os passageiros afetados podem trocar o voo sem custos e omite que tem de pagar uma indemnização, obrigatória quando não se informa o cliente do cancelamento quanto tem o prazo mínimo de sete dias para o fazer.

Face aos voos cancelados, houve passageiros (incluindo portugueses) que ficaram retidos no estrangeiro, tendo sido obrigados a pagar despesas de alojamento ou voos de ligação.

“Continuamos a aguardar junto da ANAC o agendamento de uma reunião”, acrescentou Paulo Fonseca: “Houve violação dos deveres da companhia irlandesa, devido a publicidade enganosa das obrigações face aos cancelamentos, no entanto ainda não foi aplicada nenhuma sanção”.

As indemnizações podem chegar aos 400 euros por cada viagem cancelada, sendo depois somadas as despesas inerentes a reembolso, remarcação da viagem, refeições e alojamento.

Na segunda-feira, a Ryanair anunciou ter processado até domingo 305 mil remarcações de voos ou reembolsos, abrangendo 97 por cento dos 2100 clientes afetados.

A DECO lembra aos passageiros afetados que, se não forem sócios, podem apresentar as reclamações através da associação pelo custo do processo, dez euros.

Mais partilhadas da semana

Subir