Desporto

Vitória de Guimarães e FC Porto concluem transferência de Marega

O Vitória de Guimarães abdicou da mais-valia de uma eventual venda do avançado Marega, do FC Porto, para garantir metade dos passes dos ex-dragões Rafa Soares, André André e João Carlos Teixeira.

Após o final da época 2016/17, na qual Marega jogou em Guimarães cedido pelo FC Porto, os vitorianos ficaram com uma percentagem da mais-valia de uma eventual transferência do dianteiro (diferença entre o valor da venda e o valor pago pelo FC Porto ao Marítimo).

Esta temporada, utilizaram esse trunfo para garantir, já nesta época, os três jogadores ex-FC Porto e ainda o empréstimo do central Osorio.

“O Vitória SAD chegou também a acordo com o FC Porto SAD para a cedência dos direitos sobre as possíveis mais-valias do atleta Marega, em troca da aquisição de 50 por cento dos direitos económicos e de 100 por cento dos direitos desportivos dos atletas André André, Rafa Soares e João Carlos Teixeira. Também o empréstimo do atleta Osorio é consequência direta deste acordo”, lê-se no relatório e contas da SAD para a época 2017/18, publicado hoje no sítio oficial dos vitorianos.

O documento, que vai ser discutido e votado na quinta-feira à noite, em assembleia-geral de acionistas, mostra que o clube obteve, na época passada, um resultado positivo de 810 mil euros.

O lucro foi mais baixo face à época 2016/17 (2,79 milhões de euros), mas valeu à SAD vitoriana o quarto exercício consecutivo com resultados positivos, depois dos 1,25 milhões, de 2014/15, e dos 364 mil euros, de 2015/16.

O relatório e contas esclarece ainda que os vimaranenses arrecadaram 12,4 milhões de euros com vendas de jogadores e receitas de percentagens de passes de futebolistas de outros clubes, até 30 de junho de 2017, apesar de ter utilizado 1,8 milhões desse ‘bolo’ para pagar direitos económicos.

O atual lateral-direito do Sporting, Bruno Gaspar, foi o jogador que mais rendeu aos vitorianos (2,8 milhões de euros), com a venda de 90 por cento do passe à Fiorentina, de Itália, no início da época passada, a render 1,9 milhões, e a compensação da ida para o Sporting a render um milhão.

O Vitória de Guimarães arrecadou ainda 2,1 milhões com a transferência do lateral Ricardo Pereira do FC Porto para o Leicester, de Inglaterra, 1,7 milhões com a venda do central Josué ao Anderlecht, da Bélgica, e 1,4 milhões com a venda de Zungu, ao Amiens (França).

Na compra de jogadores, o Vitória investiu 11,9 milhões na época passada, com destaque para as contratações do central Pedro Henrique, ao Cianorte (Brasil), e do avançado Oscar Estupiñán, ao Once Caldas (Colômbia), ambos por dois milhões de euros, e ainda as do médio Celis, ao Benfica (1,75 milhões), e do extremo Rincón, ao Tigre, da Argentina (1,65 milhões).

Na sequência do investimento, o passivo da SAD cresceu 77 por cento, dos 13 para os 23 milhões, e o ativo 73 por cento, dos 15 para os 26 milhões.

O documento refere ainda que o “investimento em massa salarial” na equipa principal e na equipa B, da II Liga, “atingiu o valor mais alto de sempre”, tendo crescido cerca de 31 por cento face à época 2016/17.

Numa mensagem escrita no início do relatório e contas, o presidente do clube e do conselho de administração da SAD, Júlio Mendes, salienta que os resultados financeiros relativos à época 2017/18 refletem a “aposta numa estratégia de investimento capaz de contribuir para o cumprimento dos objetivos desportivos ambicionados”, apesar do nono lugar alcançado no campeonato.

Mais partilhadas da semana

Subir