Local

“Vítimas zero. É esse o grande balanço do incêndio de Monchique”, diz ministro

O ministro da Administração Interna afirmou hoje que a “grande vitória” do incêndio que deflagrou em Monchique é a inexistência de vítimas mortais, destacando a “notável” operação da Proteção Civil no combate ao fogo.

“É possível neste momento, em que a estrutura operacional considera [o incêndio] tecnicamente dominado, dizer […] que a grande vitória é: vítimas zero. É esse o grande balanço deste incêndio”, afirmou Eduardo Cabrita aos jornalistas, após um ‘briefing’ no posto de comando da Proteção Civil, instalado no centro da vila algarvia, no distrito de Faro.

O incêndio de Monchique já destruiu cerca de 27 mil hectares, segundo os dados mais recentes disponibilizados pelo Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais (EFFIS), tornando-o no maior este ano em Portugal.

Este ano, o maior incêndio, em termos de área ardida, que se tinha verificado em Portugal era o que deflagrou em fevereiro na Guarda, onde arderam 86 hectares.

Segundo os dados do EFFIS, as chamas em Monchique já destruíram 26 957 hectares, mais de metade dos 41 mil que arderam na mesma região em 2003, nos concelhos de Monchique, Portimão, Aljezur e Lagos.

No ano passado, as chamas destruíram mais de 440 mil hectares, o pior ano de sempre em Portugal, segundo dados do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Quanto aos maiores incêndios em termos de área ardida ocorridos no ano passado, no topo da lista aparece o que teve origem no dia 15 de outubro, em Seia/Sandomil, no distrito da Guarda, que destruiu 43 191 hectares.

Mais partilhadas da semana

Subir