Animais

Vídeo: Tourada com criança ao colo no Açores

Um vídeo divulgado pela plataforma Basta mostra uma tourada à corda polémica, nos Açores. Um homem toureia com uma criança ao colo. O caso foi denunciado às autoridades, entre as quais a CPCJ de Angra do Heroísmo. Veja o vídeo.

Uma criança foi colocada em perigo, nesta quinta-feira, durante uma tourada à corda, na localidade da Casa da Ribeira, pertencente à freguesia de Santa Cruz, na ilha Terceira.

Num vídeo que circulou na internet é possível ver um adulto com um capote e uma criança pequena ao colo enfrentando um touro com mais de 400 quilos, colocando em risco a sua vida e a vida da criança.

As imagens suscitaram indignação de muitos cidadãos, que rapidamente condenaram o ato. Também a plataforma Basta se manifestou indignada e tomou medidas: denunciou o caso às autoridades e à CPCJ de Angra do Heroísmo.

“Trata-se de uma situação de total irresponsabilidade e uma clara violação da legislação que protege as crianças em Portugal, além de um grave atropelo à Convenção dos Direitos da Criança das Nações Unidas”, defende aquela plataforma, numa nota enviada ao PT Jornal.

Veja as imagens:


A plataforma Basta faz “um sério apelo às autoridades açorianas para que investiguem este caso e identifiquem o indivíduo que aparece no vídeo, aplicando a legislação em vigor, e que o caso em apreço sirva de exemplo para situações futuras em touradas à corda, largadas ou demonstrações de toureio”.

A Basta tem denunciado casos extremamente graves de eventos tauromáquicos nos Açores com participação de crianças, como a “espera de gado infantil” promovida no passado dia 26 de junho de 2018 pela autarquia de Angra do Heroísmo em pleno Centro Histórico da cidade.

“Infelizmente as autoridades ignoram os alertas e nada fazem para impedir estes casos de violação da lei deixando as crianças vulneráveis e sujeitas a acidentes que podem custar a sua vida”, lamenta.

Perante “os abusos que têm vindo a ser cometidos, e a impunidade dos responsáveis pelos mesmos”, a plataforma Basta, em parceria com a Fundação Franz Weber, “irá estes casos ao Comité dos Direitos da Criança da ONU, que em fevereiro de 2014 instou o nosso país a afastar as crianças e jovens da violência da tauromaquia”.

Mais partilhadas da semana

Subir