Educação

Vídeo: Ricardo Araújo Pereira considera que inquérito sobre orientação sexual “peca por escasso”

Ricardo Araújo Pereira comentou o polémico inquérito distribuído aos alunos do 5.º ano da Escola Francisco Torrinha, no Porto, onde estes são confrontados com a sua orientação sexual ou ideologia no género. “Peca por escasso”, brinca o humorista.

“Para já, se calhar devia ser ‘rapazes, raparigas’ (…) Uma menina de 9 anos dizer: ‘Eu sinto-me atraída por homens é um bocado…”, começou por dizer Ricardo Araújo Pereira.

O inquérito, recorde-se, é dirigido a alunos entre os 9 e 11 anos de idade, onde são confrontados com questões como “namoras?”, “já namoraste” e também quanto à sua orientação sexual.

Alunos de 9 anos têm de assinalar se se sentem atraídos por “homens”, “mulheres”, ou “ambos”.

Por isso, defende o humorista, o inquérito “peca por escasso”.

“Eu tenho pena que o inquérito peque por escasso. Homens, mulheres ou ambos. A gente escolhe mulheres. Loiras roliças ou gostas mais de..? Que é para depois a gente ter mais [informação]”, brincou.

“Para que é que se quer saber isto sobre os miúdos?”, questionou, antes de continuar no tom humorístico.

“Eu gostava que fosse possível a gente chegar ao pé de uma miúda e dizer: ‘Tu é que gostas de morenaços espadaúdos. Olha aquele marinheiro, todo bom! Gostas, Teresinha?”, atirou.

Veja aqui o vídeo.

A partilha do inquérito gerou uma onda de revolta nas redes sociais e motivou o pedido de esclarecimento por parte do Ministério Público.

Rita Terroso, a presidente da Associação de Pais da Escola Francisco Torrinha, afirmou ao PT Jornal que a “proporção que o tema tomou é bem mais desadequada que o próprio inquérito”.

Mais partilhadas da semana

Subir