EUA

Vídeo: Encontra filha que pensava ter morrido no parto há 69 anos

Genevieve Purinton, de 88 anos, deu à luz num hospital no Indiana, nos Estados Unidos. Foi-lhe dito que o bebé não tinha sobrevivido. Esta semana, 69 anos depois, encontrou Connie graças a um kit de ADN que ajuda a encontrar parentes genéticos.

“Eu pedi para ver o bebé, mas eles disseram-me que não tinha sobrevivido. É tudo o que me lembro”, recorda Genevieve, à NBC News.

A criança foi levada para um orfanato e adotada por um casal da California que morreu poucos anos depois. “A mãe adotiva morreu de cancro e pouco depois o foi foi diagnosticado com uma doença cardíaca”, revelou Bonnie, a filha de Connie.

“Ela só queria encontrar a mãe verdadeira para a salvar daquela situação horrível. Fantasiava sobre isso desde os 5 anos de idade”, acrescentou.

Por isso, Bonnie ofereceu à mãe um kit de ADN pelo Natal, o que acabaria por mudar a sua vida.

De três parentes conhecidas (a filha e dois netos), Bonnie passou a saber que existiam 1600 familiares vivos.

A partir daí, foi uma descoberta.

Conseguiu que uma prima distante lhe desse os dados sobre a mãe e onde a podia encontrar. Enviou-lhe um cartão e o (re)encontro aconteceu.

“Conheci a minha mãe e a minha prima em pessoa e chorámos. Foi um ‘festival de choro’. (…) Nem toda a gente tem este tipo de desfecho quando procura os pais, mas recomendo que tentem”, afirmou.

Connie revelou ainda que deseja encontrar o pai e as meias-irmãs do seu lado.

Veja o reencontro de mãe e filha.

Mais partilhadas da semana

Subir