Nas Notícias

Vídeo: Reator nuclear atinge o ciclo 10.000

acrr Um reator nuclear utilizado para investigação e pesquisa, nos EUA, atingiu o ciclo 10.000. Um feito que o Laboratório Nacional de Sandia assinalou ao filmar a inicialização de um equipamento que funciona há mais de 32 anos.

O reator ACRR (Annular Core Research Reactor) do Laboratório Nacional de Sandia, em Albuquerque (EUA), atingiu um registo histórico de 10.000 ciclos. O feito foi assinalado com a gravação (e posterior divulgação) do vídeo da inicialização do reator para um novo ciclo.

“Este reator tem sido um cavalo de batalha para Sandia e também para os demais laboratórios de liderança mundial que dependem de determinadas experiências, tais como testes de armas para a devida certificação junto ao arsenal de equipamentos nucleares”, explicou Lonnie Martin, um dos cientistas que opera o ACRR.

O reator, cujo núcleo contém uma “cavidade seca” de 22 centímetros de diâmetro, permite realizar testes a semicondutores e produzir isótopos médicos, entre outras aplicações.

Ao nível energético, o ACRR produz até quatro megawatts de energia em estado estacionário, mas atinge os 35 mil megawatts em apenas sete milésimos de segundo, em pulso máximo.

Como pormenor, saliente-se que o brilho azulado que se vê aquando da inicialização corresponde à radiação Cherenkov, que ocorre quando uma partícula carregada com electricidade atravessa um meio isolante a uma velocidade superior à da luz

A descoberta desta radiação eletromagnética valeu, em 1958, a atribuição do prémio Nobel de Física a Pavel Cherenkov.

Em destaque

Subir