Economia

Vídeo: Patrão da Padaria Portuguesa desafiado a pagar contas com “espírito de equipa”

Nuno Carvalho deu uma entrevista a realçar que o “espírito de equipa vale muito mais do que o salário base” e a polémica renasceu, com o CEO da Padaria Portuguesa a ser desafiado a comprar pães ou a pagar a renda com “espírito de equipa”. É que este patrão já tem um histórico de afirmações discutíveis.

A entrevista foi publicada em vários órgãos da Global, como o Jornal de Notícias e o Diário de Notícias. “Espírito de equipa vale muito mais do que o salário base”, garante Nuno Carvalho.

Mas quanto vale o “espírito de equipa” em dinheiro, quando é preciso pagar as contas? As redes sociais não demoraram a arrasar o responsável da Padaria Portuguesa, lembrando que a empresa é conhecida pelos baixos salários.

“Quando um em cada quatro trabalhadores recebe o salário mínimo já sabemos que os outros não ganham muito mais”, realçou o Bloco de Esquerda no início deste ano, quando Nuno Carvalho criticou a subida do salário mínimo.

“Os colaboradores da Padaria Portuguesa nem deviam ser pagos em euros. A honra de pertencer a uma equipa é suficiente. Um amigo vale mais que um tesouro”, satirizou a página Jovem conservador de direita, horas após a publicação da recente entrevista:

“A Padaria Portuguesa devia permitir que pessoas que não têm amigos pagassem uma mensalidade para poderem lá trabalhar. A solidão é um drama e é um egoísmo existirem pessoas que vão trabalhar para a Padaria Portuguesa só por dinheiro, quando há tanta gente a querer ir trabalhar para lá só pelo espírito de equipa”.

Foi apenas uma das incontáveis reações que se geraram nas redes sociais e em blogues. “Nuno Carvalho insulta o trabalhador ao sugerir que as regalias são mais que muitas e que compensam a falta de nível do salário”, reforça o blogue Estado Sentido.

“Já trabalhei nessa empresa e não é como esse senhor pretende dar a entender”, garantiu Vítor Máximo, ao comentar o artigo no Facebook do JN: “Uma autêntica escravatura. Eu e o meu amigo José Rodrigues Maio (entre outros) fomos mais do que escravizados. Ainda hoje corre um processo em tribunal… A ver vamos”.

Foi o comentário que gerou mais reações, seguido por um irónico: “O mês passado já deu para pagar a conta da EDP com espírito de equipa. O Mexia aceitou, foi na boa”.

Como referimos no início, não é a primeira vez que Nuno Carvalho dá entrevistas polémicas. No início deste ano, defendeu a flexibilização dos despedimentos, quando comentava… a descida da taxa social única. Reveja:

2K+Shares

Mais partilhadas da semana

Subir