EUA

Vídeo: Mães sem-abrigo, ou rede organizada de pedintes?

Sem-Abrigo_EUA_Pobre_900Uma reportagem da NBC News sobre mulheres pedintes (com bebés ao colo) descobriu uma rede organizada, que usa o espírito solidário como forma de extorquir dinheiro. Nas ruas de Nova Iorque (EUA), ganham fortunas à custa do espírito solidário. Acabam de ser denunciadas por uma equipa de jornalistas. Veja o vídeo.

Estas mulheres aparentam ser sem-abrigo, que carregam a fome dos filhos ao colo, todos os dias, numa vida de miséria. À saída do metro, nos locais onde milhares de pessoas circulam, exibem sinais de pobreza extrema. Mas a verdade é que arrecadam fortunas, todos os dias, nas ruas de Nova Iorque.

Foram alvo de uma reportagem que acompanhou o seu dia a dia. A cara humilde e o choro dos bebés deixam os nova-iorquinos pressionados pelo sentimento. A esmola sai, em formato nota, quase sempre. Dois, três dólares de um único traseunte, por vezes.

Ao fim do dia, é dinheiro mais do que suficiente para uma vida sem qualquer restrição. Elas vão às compras, têm dinheiro para saciar a fome que não existe. Só não despem o traje que lhes permite um nível de vida em grande, sem grande esforço, sem grande vergonha na cara.

A questão é polémica, porque envolve a presença de crianças, usadas (sem direito a escolha) para uma verdadeira extorsão de dinheiro. Esses ‘detalhes’ são abordados na brilhante reportagem.

Não procuram os serviços de apoio social, porque não é de ajuda social que precisam. Apenas precisam do ato solidário de quem enganam. Não procuram emprego.

Estas mulheres funcionam como uma rede. Não passam fome, nem vivem nas ruas. Vão às compras, carregam nos braços a sua grande arma: os bebés.

Confrontadas pela equipa de reportagem, recusam-se a dar entrevistas e partem para o insulto, do mais baixo. Ironizam, gozam a repórter.

Mas a verdade é que, após a difusão deste trabalho de jornalismo de investigação, os nova-iorquinos reaprenderam a lidar com esta autêntica burla.

As autoridades norte-americanas também não ignoraram uma história que se tornou viral em todo o mundo.

Veja o vídeo.

Mais partilhadas da semana

Subir