Mundo

Vídeo: Israel recorda 7-1 para responder ao Brasil, o “anão diplomático”

palmor O Brasil considerou “desproporcional” o uso de força por parte de Israel em Gaza. Na resposta, Yigal Palmor criticou o comportamento do “anão diplomático” e recordou a derrota com a Alemanha no Mundial: “empate é proporcional, quando é 7 a 1 é desproporcional”.

A guerra não é um jogo como o futebol. Na resposta diplomática ao Brasil, o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) de Israel foi pouco diplomático e talvez a roçar a falta de fair-play: evocou os 7-1 com que a Alemanha afastou a seleção brasileira no Mundial de futebol.

A declaração surgiu depois do Brasil ter considerado “desproporcional” o uso de força por parte de Israel na operação militar em curso na Faixa de Gaza.

“A resposta de Israel é perfeitamente proporcional de acordo com a lei internacional. Isto não é futebol. No futebol, quando um jogo termina empatado, você acha proporcional, quando é 7 a 1 é desproporcional. Lamento dizer, mas não é assim na vida real e sob a lei internacional”, afirmou Yigal Palmor.

O porta-voz do MNE chamou ainda “anão diplomático” ao Brasil, depois do Governo brasileiro ter mandado regressar para consulta o embaixador em Telavive.

“Há muitos contactos diplomáticos” em curso sobre um sobre cessar-fogo, mas “infelizmente o Brasil não faz parte”, salientou Palmor: “o Brasil afastou-se de todos os movimentos diplomáticos ao convocar de volta o seu embaixador. Há outros países envolvidos e um dia vai haver um cessar-fogo”.

O diplomata israelita, ainda sobre a acusação brasileira, que “desproporcional” seria deixar “centenas de pessoas mortas nas ruas de Israel”, o que só não acontece devido ao sistema antimíssil: “não vamos nos desculpar por isso. Se não tivéssemos esse sistema haveria centenas de pessoas mortas nas ruas de Israel. Isso seria considerado proporcional?”

https://www.youtube.com/watch?v=tBHxWdX7Xxg

Mais partilhadas da semana

Subir