Nas Notícias

Vídeo: Homem do Alandroal volta a andar após 43 anos em cadeira de rodas

Um exame médico permitiu a um homem do Alandroal libertar-se da cadeira de rodas, que o acompanhou durante 43 anos. E não foi milagre: Rufino Borrego foi vítima de um diagnóstico errado, realizado em 1966, que dava conta de uma distrofia muscular incurável. Em 2010, com diagnóstico correto e um medicamento adequado, começou a caminhar. Veja a reportagem da RTP.

Não há milagres. Há um erro médico associado a um novo diagnóstico. O erro sentenciou este homem a 43 anos numa cadeira de rodas. Um novo exame permitiu devolver-lhe a mobilidade.

Corria o ano de 1966, quando Rufino viu ser-lhe diagnosticada uma distrofia muscular incurável. A cadeira de rodas era a sentença daqueles exames mentirosos.

Durante 43 anos, este homem ficou sem mobilidade e viveu uma vida de dependência de terceiros. Até que em 2010 realiza novos exames que permitem desfazer o engano.

Rufino recebeu medicação e foi melhorando, a cada dia que passava, até que se liberta daquela cadeira e passa a caminhar pelo seu pé.

“Há uma melhoria bastante acentuada, é verdade, mas milagre é quando as coisas acontecem sem uma causa. No meu caso, é efeito da toma do medicamento. É uma diferença abismal”, conta, em declarações à RTP.

Veja o vídeo da reportagem ao canal público:

Mais partilhadas da semana

Subir