Nas Redes

Vídeo: Guerra acredita que Paulo Gonçalves reze o terço pois é “muito religioso”

Pedro Guerra defendeu Paulo Gonçalves no que respeita às alegadas expressões utilizadas pelo ex-assessor jurídico da SAD encarnada nas mensagens que envolvem palavras como “padres” e “missas” e até “rezar o terço” em Fátima. No programa ‘Prolongamento’ da TVI 24, Guerra justificou que Paulo Gonçalves é “muito religioso”. O momento motivou gargalhadas de Serrão e Rodrigo Roquette. Veja no vídeo.

O programa estava na reta final e comentava-se o facto de Paulo Gonçalves ter marcado presença na tribuna presidencial da Luz, no duelo frente ao Bayern de Munique.

Manuel Serrão e Rodrigo Roquette, comentadores de FC Porto e Sporting, respetivamente, brincavam com a situação e prometiam não rir, enquanto Pedro Guerra, comentador encarnado no programa, justificava a presença do antigo assessor jurídico da SAD do Benfica com o facto de Paulo Gonçalves ter “relações institucionais” com Karl-Heinz Rummenigge, líder do Bayern, e ter estado a assistir ao jogo num lugar de ‘elite’ por “mera questão de cortesia”.

E foi a falar de Paulo Gonçalves que o programa prosseguiu até porque, nos últimos tempos, muito se tem comentado sobre as alegadas expressões utilizadas pelo ex-assessor jurídico das águias com referências religiosas.

O Ministério Público suspeita que são palavras de código para alegados esquemas de corrupção desportiva, que estão em investigação no caso dos e-mails.

Na sequência do debate, Pedro Guerra assumiu que Paulo Gonçalves “é muito religioso”.

“Há cerca de um ano, o doutor Paulo Gonçalves passou por um processo delicado em que ia perdendo um filho”, referia Pedro Guerra, enquanto Serrão e Roquette sorriam, situação que desagradou Guerra.

“É uma falta de nível, eu estou a falar de um pai que esteve na iminência de perder um filho”, recordava Guerra.

“Ó Rodrigo peço que se cale e que tenha educação”, apelava o comentador encarnado, apelo feito também por Sousa Martins, apresentador e moderador do programa.

Pedro Guerra continuou a falar sobre o acidente do filho mais novo de Paulo Gonçalves, há cerca de um ano, sustentando o papel da “medicina portuguesa” mas também “se calhar porque houve uma intervenção divina”.

“Quem acredita, acredita”, revelou Guerra, sublinhando que é fácil provar “quando ele [Paulo Gonçalves] foi à missa rezar o terço”.

Veja no vídeo a partir do 1:35:00

Serrão acabou em seguida o programa e já em ‘off’ Guerra lamentou que para os colegas de painel “vale tudo”, enquanto Serrão pedia “música”.

“Não há música? Costuma haver música”, soltou o nortenho.

Mais partilhadas da semana

Subir