Local

Vídeo: Entrevista de Rosa Grilo, a viúva do triatleta morto

Rosa Grilo, mulher do triatleta Luís Grilo, concedeu uma entrevista à TVI, dias depois do funeral do marido, e falou do cenário de homicídio (afastando-o) e das suspeitas que desde logo se levantaram (refutando-as). “Não tenho nada a ver com isso”, disse Rosa Grilo, em entrevista à TVI. E “isso” é uma palavra vaga para classificar a morte de um ente querido. Rosa Grilo está detida e é a suspeita do homicídio, em coautoria com outro homem. Veja o vídeo.

Na primeira vez que abordou a morte do triatleta amador, Rosa Grilo afirmou, em declarações à TVI24, que o marido “estava normal” na última vez que o viu, pelas 16h00 do dia 16 de julho.

“Disse que ia dar uma voltinha, mas que pelas 18h00 estaria em casa”, revelou.

Mas eram 20h00 e o triatleta continuava sem voltar, ele que “não treinava de noite”.

Nessa mesma noite, a mulher participou à GNR o desaparecimento de Luís Grilo. O triatleta só voltou a ser visto, já cadáver, a 24 de agosto.

O corpo estava a 134 quilómetros de casa, mas a curta distância da casa dos sogros. Tinha sido deixado sem roupa e com um saco de lixo na cabeça.

Rosa Grilo contou que estava na Polícia Judiciária quando soube da descoberta.

“Tinham feito a confirmação pelas impressões digitais”, revelou.

“Mas foi tudo muito complicado. Por muitos cenários que se coloquem, nunca queremos ter essa confirmação”, reforçou.

Após a descoberta do crime, a viúva foi ouvida pelas autoridades, saindo sem ser constituída arguida. Mais tarde, Rosa Grilo acabou detida, sendo suspeita de coautoria da morte do marido.

De regresso à entrevista. Rosa Grilo falou em invejas…

“A nossa vida, pelos vistos, faz confusão a muita gente. Éramos um casal feliz, com altos e baixos”, salientou.

Na entrevista, Rosa Grilo defendeu-se das críticas mais ferozes de que foi alvo, como por ter ido “de branco ao funeral”.

No funeral do Luís, muita gente me criticou por eu ir de branco, mas as pessoas não perceberam sequer que o que fiz foi levar uma camisola que o Luís ganhou na última prova que fez”, afirmou.

Mas também foi acusada de não sentir, de não manifestar o luto de forma emocionada.

“Tenho de dar força ao menino”, respondeu, referindo-se ao filho do casal. “Ele não está, estou eu e vamos continuar”, reforçou.

A viúva do triatleta garantiu ainda não ter conhecimento de quem “quisesse mal” a Luís Grilo, antecipando que a morte terá sido acidental.

“Honestamente, como não acredito que alguém lhe tenha feito mal propositadamente, ou que foi coisa premeditada, não acredito que queiram incriminar-me”, sustentou.

Rosa Grilo insistiu na recusa de um crime e colocou a tónica num eventual roubo ou acidente: “Ou um roubo que correu mal, por causa da bicicleta, e não é a mais valiosa que ele tem, mas vale alguma coisa, ou atropelaram-no e as coisas correram mal.

Avançou também com uma explicação para o facto do cadáver ter sido encontrado sem roupa.

“Esse facto pode dever-se à intenção de que o corpo se decompusesse mais facilmente ou ainda de a roupa ter vestígios de outra pessoa”, avançou.

“O Luís faz-me muita falta, faz parte da minha vida desde sempre. Difícil é imaginar o resto da nossa vida sem ele”, afirmou ainda.

Veja um excerto dessa conversa.

Mais partilhadas da semana

Subir