TV

Vídeo: Cega ‘vê’ o filho que carrega no ventre através de impressão 3D

Tatiana Guerra, grávida de 20 semanas, sofria a angústia de nunca poder ver o filho nas ecografias: afinal, ela é cega desde os 17 anos. Graças a uma marca de fraldas, conseguiu finalmente cumprir esse sonho: ‘viu’ Murilo, o filho que carrega no ventre, graças a uma impressão 3D.

A brasileira Tatiana Guerra, de 30 anos, partilhava a alegria das mães que carregam um filho no ventre, mas não escondia a angústia que sofria por não poder ver Murilo nas ecografias por ultrassom: afinal, Tatiana é cega desde os 17 anos.

“Quando coloco a mão na barriga e sinto a cabecinha dele no outro lado, as mãozinhas mexendo, é como se tivéssemos superpoderes e fosse igual para a gente”, comentou a futura mãe.

Mas tudo mudou graças a uma campanha da Huggies, uma multinacional de fraldas e produtos para bebés.

Numa consulta de acompanhamento, às 20 semanas de gravidez, Tatiana Guerra esperava que o médico pudesse descrever Murilo.

O que a futura mãe não sabia é que na sala havia uma impressora a três dimensões (3D). Enquanto a consulta decorria, as imagens do feto estavam a tornar-se num objeto palpável em tamanho real.

“Como é que é o rostinho dele, doutor?”, quis saber Tatiana.

“O narizinho é parecido com o teu, está com os dois olhinhos fechados… Como é que imagina ele?”, contrapôs o médico.

“Está aí o teu filho”, anunciou o clínico, ao pôr a impressão 3D nas mãos de Tatiana Guerra.

https://www.youtube.com/watch?v=KD0AC43fc_4

28Shares

Mais partilhadas da semana

Subir