Saúde

Viagra estimula concorrentes genéricos, com preço pela metade, após fim da patente

viagra 210viagra patenteA partir de hoje, o Viagra terá concorrência a metade do preço. O fim da patente da Pfizer levou a “uma corrida” pelas autorizações de comercialização: há pelo menos 45 pedidos para lançar um medicamento genérico contra a disfunção erétil.

A patente do Viagra, o mais famoso medicamento contra a disfunção erétil, termina hoje, abrindo o mercado à concorrência por parte dos genéricos. A lei dos genéricos determina que o preço destes não pode superar metade do original: como a embalagem mais barata de Viagra custa atualmente 31,16 euros, o medicamento genérico para a disfunção erétil poderá ser vendido por preços inferiores a 15 euros.

O fim da patente abriu assim “uma corrida” pela Autorização de Introdução no Mercado (AIM), que é emitida pelo regulador do medicamento. De acordo com uma fonte do Infarmed, que a Lusa diz ser oficial sem identificar, o regulador recebeu pelo menos 45 pedidos de comercialização da substância ativa Sildenafil, com apenas dois titulares de AIM aptos a venderem o genérico já em janeiro.

A procura pelo Viagra é uma das mais estimuladas do mercado: de acordo com os dados apresentados pela Pfizer, só em 2012 foram vendidas 129.052 unidades, gerando um valor de 3.901.268 euros. No ano passado e excluindo dezembro, as unidades vendidas foram de 127.445 unidades, correspondentes a 3.864.217 euros.

Daí que o fabricante do Viagra se prepare para juntar-se à concorrência e apresentar também um genérico. “Apesar do Viagra continuar a ser comercializado, vai ter uma alternativa de genérico de marca Pfizer”, garantiu a porta-voz da farmacêutica, Helena Novais, citada pelo Dinheiro Vivo.

Em Portugal, a impotência sexual afeta mais de 500 mil homens, segundo os dados apresentados pelo mesmo site. Apesar do fim da patente, Helena Novais assegurou que a Pfizer não receia a concorrência. “O medicamento é o medicamento, está prescrito a mais de 37 milhões de pessoas em todo o mundo, são pessoas que conhecem e confiam no Viagra”, afirmou.

Mais partilhadas da semana

Subir