Nas Notícias

“Vamos voltar a ir à missa”, pedem fiéis em vídeo controverso

Um vídeo dirigido aos “queridos bispos de Portugal” tomou hoje as redes sociais de assalto, fomentando a discussão sobre a proibição das missas presenciais.

A prática religiosa também foi alterada quando o país entrou em estado de emergência. Agora, com o plano de desconfinamento a autorizar a retoma gradual de vários setores da economia, um grupo de católicos apela ao regresso da missa.

No vídeo divulgado por Pedro dos Santos Frazão, que se assume nas redes sociais como veterinário, casado, “pai de sete” e “conservador da natureza, da família dos bons costumes”, várias famílias colocam-se “ao serviço da Igreja” para assegurar o cumprimento das medidas sanitárias “necessárias” à realização de missas presenciais.

“O que seria mais importante e essencial do que a missa?”, questionam, frisando que os fiéis não devem “permanecer virtuais”.

E fica a promessa: “Faremos com que as igrejas sejam mais seguras do que qualquer supermercado”.

“Recuperemos a missa. Vamos voltar a ir à missa”, terminam os participantes.

O vídeo não demorou a gerar discussão nas redes sociais, com Pedro dos Santos Frazão a comentar, esta tarde, que “o nível de perseguição religiosa aos cristãos começou ao rubro esta manhã”.

“A missa é mais importante do que cafés e restaurantes que se têm desdobrado para não deixar cair o negócio e para alimentar quem mais precisa? E noção?”, respondeu-lhe um internauta.

Veja o vídeo do momento.

0Shares

Em destaque

Subir