Motores

“Uma experiência enriquecedora” para Fábio Mota nas GT4 South European Series

Fábio Mota mostrou um ritmo competitivo na sua estreia das GT4 South European Series, que decorreu na última ronda daquele campeonato no Circuito do Estoril.

Dividindo o Porsche Cayman GT4 da Veloso Motorsport com Francisco Carvalho o piloto de Vila Nova de Gaia somou dois triunfos na Am Cup, sendo que a classificação geral poderia ter sido melhor se não tivessem ocorrido alguns percalços.

Na primeira corrida, com a pista húmida e apesar dos pneus ‘slick’, Francisco Carvalho chegou à liderança depois de um arranque fulgurante da terceira posição da grelha de partida. Depois o ‘calçado’ do Porsche começou a dar sinais de fadiga e o piloto da Guarda desceu para segundo, posição em que ‘passou o volante’ a Fábio Mota.

Quando saiu das boxes o piloto de Gaia tinha o limitador ligado, rodando apenas até 110 km/h. Voltou às boxes para resolver o problema mas já tinha perdido bastante tempo, sendo quinto sobre a meta mais vencendo a Am Cup.

Já no segundo confronto as condições climatéricas eram más, e a prova foi iniciada com ‘safety-car’, vindo a ser interrompida com bandeiras vermelhas. Mas quando Fábio Mota passou para o volante do Porsche Cayman não deu uma única volta em situação de corrida, apenas levando o carro até ao final no segundo posto, com uma ultrapassagem na última volta.

“O Francisco realizou um turno competitivo, mas eu não pude rodar em ritmo competitivo na segunda corrida. Na primeira estivemos muito competitivos mas toquei inadvertidamente no limite de velocidade e isso atrasou-nos imenso”, referiu o piloto de Vila Nova de Gaia.

Fábio Mota destaca no entanto a evolução “sessão a sessão num carro que desconhecia completamente” e mostrou “um ritmo muito competitivo”, salientando: “Foi uma experiência enriquecedora. Tivemos alguns problemas durante o dia, mas no geral foi bom”.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir