Economia

Um sensor põe a despensa e o frigorífico a falar consigo

Frigorifico_9O que lhe diz a sua despensa? Qual o prazo de validade dos produtos que guarda no frigorífico? Investigadores do programa MIT Portugal criaram um sensor que vai colocar os seus equipamentos a falar consigo.

Sensor é como um “selo de correio” e pode ser colocado em diferentes embalagens, em qualquer ambiente.

Um projeto inovador de uma equipa de investigadores do programa MIT Portugal ajuda-o a perceber com melhor facilidade o estado de conservação dos alimentos que guarda, na despensa ou no frigorífico.

Esta comunicação é feita através de um sensor, de pequenas dimensões, que lhe diz se aquele produto está dentro das datas definidas como prazos de validade, ou se, por outro lado, merece a sua atenção.

Quer as despensas, quer os frigoríficos são equipamentos pensados para guardar alimentos e nenhum deles está preparado para quaisquer outro tipo de questões.

A validade dos produtos assume particular relevância, uma vez que pode determinar o seu estado de saúde.

Mas não só: quantas vezes pensou ter este ou aquele produto e, quando o abriu para o consumir, verificou que estava estragado? O vizinho pode sempre dar uma ajuda a colmatar essa falha, até porque uma ida ao supermercado está quase sempre fora de questão quando há pressa em confecionar uma refeição.

E assim nasce este sensor da MIT Portugal, que transforma uma despensa ou um frigorífico em algo mais do que um ‘depósito’ de alimentos.

Este sensor é como um “selo de correio” pode ser colocado em embalagens, de papel, de plástico ou de vidro, e guardadas em ambientes a temperaturas mais reduzidas, como um frigorífico.

O pequeno sensor, ao ser colocado nas embalagens de alimentos, diz aos consumidores se é necessário repor o stock, qual o estado de conservação do alimento, entre outras informações necessárias.

É como se a embalagem ganhasse vida e falasse consigo, dizendo-lhe qual o estado de conservação do produto que guarda.

Este sensor da MIT Portugal tem ainda a natural valência de qualquer solução do género: pode aceder a informações através de um smartphone ou dispositivo móvel. Assim, quando está no supermercado pode saber o que está na sua despensa e no frigorífico.

Esta consulta de informação sobre os alimentos é uma ferramenta útil, por outro lado, para uma compra racional, o que significa que se está a combater o desperdício alimentar, ao mesmo tempo que se protege a saúde.

Este produto já está concebido e deverá ser comercializado durante o mês de dezembro.

O investigador do programa, Tiago Cunha Reis explica à agência Lusa que “é como se fosse um selo de correio, com moléculas muito pequenas que se tornam sensores e reagem a variações de temperatura, exposição à luz e à humidade, assim como a outras propriedades dos alimentos”.

“Em qualquer momento e em qualquer lugar sei qual o produto que tenho e qual o seu estado de conservação”, diz ainda Tiago Cunha Reis, que já fez a apresentação do projeto doutoral no MIT, nos Estados Unidos.

Refira-se ainda que este projeto, desenvolvido pela Mater Dynamics, foi distinguido na quarta edição do projeto de empreendedorismo do Expresso e da EDP.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir