Motores

Um desfecho de temporada que Henrique Chaves não desejava

Henrique Chaves tinha perspetivas de um bom resultado na derradeira prova do European Le Mans Series, mas as 4 Horas de Portimão não tiveram o desfecho que desejava.

O piloto português, que mais uma vez dividiu o Dallara P217 Gibson # 30 da AV Formula com Konstantin Tereschenko, teve uma prova de altos e baixos, chegando mesmo a passar pela liderança. Contudo uma penalização e incidentes de corrida, quando o russo estava ao volante do protótipo cor de laranja acabaram por ‘deitar por terra’ todas as aspirações de terminar a época em bom plano.

Apesar da desilusão, Chaves sabe que não fez nada de errado nesta última corrida de 2018, e isso pelo menos deixa-o de consciência tranquila: “Saio desta corrida com o sentimento de dever cumprido. Fiz o meu trabalho, recuperei lugares e estávamos em posição de poder chegar ao pódio ou até quem sabe, a vitória. Mas depois veio o incidente e a penalização e a nossa corrida acabou ali. Termino a época frustrado, foi um ano de altos e baixos mas quase sempre com bom andamento. A sorte não quis nada connosco. Há muita coisa a melhorar. Temos de analisar tudo para fazermos melhor no futuro”.

Depois, a assistir ao término da corrida das boxes, Henrique passou a torcer pelo seu compatriota: “Não estando eu em pista, quis muito que o Filipe Albuquerque ganhasse. Ele fez uma excelente corrida e foi o justo vencedor. Aprecio o Filipe como piloto e como pessoa, esta vitória ficou muito bem entregue”.

Mais partilhadas da semana

Subir