Motores

Últimos cinco minutos decidem confronto de duas horas no Group 1 no Estoril

Foram duas horas de corrida, sob um tempo invernal, que marcaram o final de época do Group 1 Portugal, e que integrou o programa dos 250 Km do Estoril.

Diogo Lopes, Martins e Soares, aos comandos de um Ford Escort RS 2000 só garantiram o seu triunfo nos últimos cinco minutos de prova, confirmando a intenção que tinham quando nos treinos cronometrados foram os mais rápidos.

Na sessão que definiu a grelha de partida os futuros vencedores bateram Dias Pedro e Pereira por 0,125s, numa batalha de Ford Escort onde também se poderia incluir os terceiros mais rápidos, Vieira e Cruz. As mesmas três equipas que dominaram a categoria H81.

O começo da corrida revelaria um grande equilíbrio, com Dias Pedro e Pereira a assumirem a liderança diante de Diogo Lopes/Martins/Soares, com a surpresa de ver o Volkswagen Golf GTi de Gaspar/Amaral/Ferreira a subir à quarta posição, enquanto mais atrás vinha o Jaguar XJS V12 de Castro Pinheiro e Sande e Castro, líderes da categoria H81-Max.

Na H71-1600 os primeiros líderes eram João e Miguel Ribeiro no Alfa Romeu Giulia, na Production Cup comandavam Freitas e Magalhães no Datsun 1200, enquanto no Troféu Mini os primeiros eram Santos Mendonça e Neto.

Dias Pedro e Pereira mantiveram o primeiro posto até à primeira paragem nas noxes, altura em que Diogo Lopes/Martins Soares passaram para a frente, enquanto Gaspar, Amaral e Ferreira conseguiam subir para terceiros no Golf GTi.

Se a sexta posição de Castro Pinheiro se mantinha, o mesmo sucedida na Production Cup, mas entre os Mini eram Rego e Leal a comandar, com Afonso e Beirão da Veiga muito perto.

Na altura das segundas paragens Dias Pedro e Pereira voltaram ao primeiro posto, trocando com Diogo Lopes, Martins e Soares, mas o Jaguar de Castro Pinheiro entrava nas boxes para não mais sair, devido a problemas nos travões do Jaguar XJS V12. Isto fez com que o Porsche 924 Turbo de Nunes Dal Maso passasse a comandar a H81.

Problemas que também Francisco Freitas tinha no seu Datsun 1200, que devido a uma avaria elétrica já não regressaria, terminando com as duas aspirações para vencer a Production Cup, que passava a ser liderada por Santos Mendonça e Neto, enquanto nos Mini Affonso e Beirão da Veiga passavam para a frente do troféu.

Seria preciso esperar pela terceira ronda de ‘pit-stops’ para voltar a ver alterações. E se Dias Pedro e Pereira se mantiveram líderes da prova, isso acabou por ser alterado a pouco mais de 10 minutos do final, quando a dupla do Ford Escort foi penalizada com ‘stop & go’ por incumprimento do tempo de paragem nas noxes.

Este castigo acabou por promover a tripla Diogo Lopes/Martins/Soares à liderança, que manteria até final, conferindo desde já o título de campeões H81-2000 a Diogo Lopes e Filipe Martins. Atrás dos infelizes Dias Pedro e Pereira, Vieira e Cruz subiram ao pódio final, enquanto Cerveira Pinto e Pedro Liberal impuseram o seu Volkswagen Golf GTi na H81-1600.

Nunes e Dal Maso, no Porsche 924 Turbo confirmariam o triunfo na categoria H81-MAX, diante do Ford Capri dos irmãos Fresco e de Rui Salgado, enquanto João e Miguel Ribeiro impuseram o Alfa Romeo Giulia na categoria H71-1600.

Na Production Cup Santos Mendonça venceram a categoria na prova, embora o título da categoria vá para o segundo classificado Tomás Pinto Abreu, que dividiu o seu Datsun 1200 com Rebelo Martins.

Finalmente no Troféu Mini Affonso e Beirão da Veiga foram os grandes vencedores, apesar de também aqui os campeões tenham sido um dos segundos classificados, Guilherme Dal Maso, que partilhou o seu Mini Cooper com Carvalhosa.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir