Nas Redes

“TVI usou questão profissional para me afastar e diabolizar”, reage Proença

Pedro Proença já reagiu ao afastamento da TVI, acusando a estação de ter usado “uma questão profissional” para o vetar e contribuir para a “diabolização pública” do advogado.

O conhecido comentador, afeto ao Sporting, foi afastado da TVI depois de, como advogado, ter pedido o afastamento de uma juíza no processo de um pai que violou a própria filha.

Numa nota que publicou nas redes sociais, Pedro Proença criticou a TVI pelos argumentos utilizados para o afastar.

“Lamento profundamente que a TVI tenha utilizado uma questão do foro da minha vida profissional para justificar o meu afastamento e que não tenha comunicado publicamente esta situação de forma a preservar quem tanto deu pela estação, de mais uma diabolização pública da sua pessoa, contribuindo para o julgamento público e desfocado que se gerou em torno desta situação, tudo com base numa interpretação sensacionalista e desfocada de um documento elaborado no âmbito da actividade profissional do visado”, acusou.

Ao longo de quatro anos de colaboração com a TVI, o advogado fez “a defesa intransigente dos direitos de cidadania”, como destacou.

“Com risco próprio e de forma frontal, denunciei centenas de situações em que os direitos dos cidadãos foram colocados em causa, sendo dos comentadores que mais casos de violência doméstica denunciou e que mais se insurgiu contra a passividade do sistema judicial em defesa das vítimas”, reforçou.

O argumento usado pela estação para o afastar é “afirmar o contrário” e, como tal “é fazer tábua rasa de todo esse histórico de colaboração e é sobretudo uma manifestação de ignorância total relativamente à minha pessoa e em relação a tudo o que fiz na TVI”, insistiu ainda Pedro Proença.

Sobre o caso do cliente que defende, lembrou que ainda não houve decisão transitada em julgado, pelo que não pode ser “adjetivado como criminoso”, tal como fez a TVI, concluiu o advogado.

Mais partilhadas da semana

Subir