Desporto

Treinador do Paços de Ferreira diz que classificação da II Liga está adulterada por erros de arbitragem

O treinador do Paços de Ferreira, Vítor Oliveira, manifestou hoje preocupação com a quantidade de erros de arbitragem nos jogos da II Liga de futebol, chegando mesmo a dizer que “a tabela classificativa está absolutamente adulterada”.

Vítor Oliveira aproveitou a conferência de antevisão ao jogo com o Académico de Viseu, no domingo, para apontar os casos ocorridos nos últimos três jogos televisionados da II Liga, envolvendo o Estoril Praia, em dois jogos, e o Paços de Ferreira.

“O Estoril conquistou quatro pontos que não deveria ter conquistado, que não são legítimos. Teve um penálti ontem (sexta-feira) frente à Oliveirense que não existe e que lhe deu mais dois pontos e um fora de jogo que deu o golo frente ao Farense e representou mais dois pontos. Associado ao ponto que nos foi tirado frente ao FC Porto B, são cinco pontos”, denunciou Vítor Oliveira.

Para o técnico pacense, “cinco pontos em duas jornadas é extremamente significativo e preocupante para quem gosta de um futebol sério”, o que o levou a dizer que “a tabela classificativa, neste momento, “é completamente falsa”, contrariando a ideia que se quer passar “de um futebol e jogos fantásticos”.

“São erros de arbitragem que fazem parte do jogo, mas as imagens não contrariam o que estou a dizer. Nos dois lances de fora de jogo, curiosamente, os dois fiscais de linha estão bem posicionados, mas um lance valeu, mal, para o Estoril, diante do Farense, e outro, no Paços-FC Porto B, foi mal anulado e prejudicou-nos”, concretizou.

Com o presidente pacense, Paulo Meneses, na plateia, Vítor Oliveira frisou que estas situações não vão ser mais toleradas pelo Paços, uma equipa que já perdeu esta época e não contestou e que, insistiu, “depende única e exclusivamente de si própria” para alcançar o objetivo de subida.

“Queremos um campeonato sério. Neste momento há três equipas com alguma vantagem, embora às vezes pareça que o Paços não conta, e é preciso critérios nas nomeações. Não podemos apanhar árbitros inexperientes, mais suscetíveis ao erro e às pressões, e, sem videoárbitro, como na I Liga apara ajudar, terão de ser os melhores árbitros a apitar, para que a classificação reflita aquilo que as equipas produzem dentro de campo”, concluiu.

O Paços de Ferreira ocupa o terceiro lugar, com 27 pontos mas menos dois jogos relativamente ao Estoril-Praia, segundo, com 29, e ao líder Famalicão, com 30.

Mais partilhadas da semana

Subir