Motociclismo

Top 30 no Rali Dakar foi o prémio para Fausto Mota

Fausto Mota concluiu a sua participação no 41º Rali Dakar no top 30 da classificação das motos, superando assim os resultados conseguidos na prova nas suas três anteriores incursões no evento.

O piloto do Tesla Tâmega Rally concluiu a curta especial do último dia na 29ª posição, tirando o máximo partido da Husqvarna Rally 450 # 54.

Foto: Gustavo Epifânio

À exceção da quarta especial, em que teve um problema mecânico, Fausto Mota foi subindo sempre na classificação, e nesta derradeira tirada que ligou Pisco a Lima teve ainda tempo para prestar auxílio ao seu compatriota David Megre.

“Consegui ficar nos trinta primeiros e assim o objetivo foi cumprido. Estou muito contente. Quero agradecer aos meus patrocinadores e à minha família por estrem comigo e por me ajudarem. Parei para ajudar o David. Estava um bocado maltratado, mas espero que não seja nada de grave e que recupere depressa”, contou o piloto do Marco de Canaveses.

Foto: Marcelo Machado de Melo

Fausto Mota fez também para fazer um balanço da sua prestação: “Foram dez dias da mais pura competição. 5000 quilómetros maioritariamente cumpridos nas exigentes dunas do Peru e mais de 45 horas em cima da mota. Foi um Dakar duro, ao qual já estamos habituados, mas correu tudo muito bem. Tive um problema mecânico e uma queda que nos condicionaram um pouco, mas fiz a minha melhor exibição no Rali Dakar até ao momento e só poderia estar feliz com esse resultado. O meu obrigado a todos os que têm apostado em mim, me apoiaram e me acompanharam nesta aventura”.

O piloto do Marco de Canaveses que se estreou no Rali Dakar há oito anos, em 2011, onde conquistou a 54º posição tem vindo sempre a melhorar a sua performance aos longo das várias edições, sendo esta a sua terceira participação consecutiva. Em 2017, terminou a prova rainha do todo-o-terreno no 49º lugar e em 2018 ocupou a 43ª posição. Este ano superou a sua última classificação em 14 posições.

Mais partilhadas da semana

Subir