Motores

Título escapa a Miguel Ramos por ‘entre os dedos’ em Barcelona

Miguel Ramos e Fabrizio Crestani foram para a derradeira jornada do International GT Open 2018 com o propósito de alcançar o título da categoria Pro-Am, mas o mesmo acabou por lhes escapar por muito pouco.

A dupla luso-italiana do Lamborghini Huracan GT3 # 27 da Lazarus Daiko Racing, que na primeira qualificação tinha sido a segunda equipa mais rápida, fez uma prova notável no sábado, arrecadando a segunda posição da categoria.

Tudo indicava que Ramos e Crestani poderiam conquistar o título no último confronto da época, realizado este domingo. A verdade é que dificuldades na qualificação obrigaram a que a equipa largasse apenas do oitavo lugar dos Pro-Am.

Este ‘handicap’ obrigou o piloto português a um grande ‘forcing’ na primeira metade da corrida, prosseguido pelo transalpino na segunda metade, e culminaria com a obtenção do quinto posto na prova, duas posições atrás dos seus principais rivais na luta pelo campeoanto.

Como Tom Onslow-Cole e Valentin Pierburg levaram o Mercedes AMG GT3 # 20 da SPS à terceira posição da categoria isso permitiu-lhes igualar Miguel Ramos e Fabrizio Crestani em termos pontual, acabando por garantir o título devido a terem mais vitórias (cinco) que a dupla do Lambo # 27.

“Morremos na praia. Depois de liderar o Campeonato desde a primeira corrida, deixamos tudo a perder aqui em Barcelona onde não fomos competitivos contra os Mercedes, De qualquer modo devemos dar os parabéns ao Tom e ao Valentin, pois também fizeram um grande Campeonato. Hoje falhamos na gestão. Tínhamos cinco segundos de vantagem de handicap e não aproveitamos porque cometemos um erro de cronometrarem nas Boxes”, desabafou Ramos após o final da corrida.

O piloto de Gaia chama a atenção para os datalhes: “O Valentim entrou ao mesmo tempo para a troca de pilotos com dois segundos de vantagem, mas como nós tínhamos menos handicap, se tudo corresse normal sairíamos com três segundos de vantagem. Contudo não nos correram bem as contas e saímos atrás um segundo e com este detalhe perdemos o Campeonato”.

“No total fizemos 80 pontos mas como fomos a única equipa a pontuar sempre, tivemos de deitar fora a pior pontuação e esses 2pts que tivemos que deitar fora, fizeram-nos perder o Campeonato. Ficamos assim com os mesmos 78pts da dupla do Mercedes #20, contudo com o mesmo numero de pontos, ganha quem tiver mais vitórias”.

Nesta prova também alinhou Lourenço Beirão da Veiga, no BMW M6 GT3 do Team Costa Campos, que mais uma vez partilhou com Juan Cruz Alvarez, e se no confronto de sábado terminaram na 14ª posição, depois de largarem de 22º da grelha de partida, na corrida de sábado acabariam por abandonar. O piloto português foi abalroado por um adversário dando por concluída aí a sua prova.

Mais partilhadas da semana

Subir