Europa

Tiroteio em Estrasburgo causou três mortos e 12 feridos

O ministro do Interior francês, Christophe Castaner, afirmou hoje que o tiroteio no oeste de Estrasburgo, na terça-feira, causou pelo menos três mortos e 12 feridos, obrigando o país a elevar o nível de alerta antiterrorista.

O último balanço feito pelas autoridades policiais apontava para quatro mortos e dezenas de feridos.

Em conferência de imprensa, o ministro detalhou que o país passou para um nível de “urgência por atentado”, com a implementação de um “controlo restrito” nas fronteiras e em todos os mercados de Natal, para que seja evitado um novo ataque nas mesmas circunstâncias.

Entretanto, o primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, ativou o gabinete de crise devido ao tiroteio registado em Estrasburgo, e o Presidente francês, Emmanuel Macron, dirigiu-se para lá, anunciou o Eliseu.

A célula interministerial, que está a funcionar a partir do Ministério do Interior, reúne representantes dos ministérios e serviços encarregados de seguir a gestão da investigação do tiroteio em Estrasburgo, divulgou o gabinete do primeiro-ministro, citado pela agência de notícias France-Presse.

O Presidente da República fará depois uma comunicação.

O Ministério Público francês anunciou, entretanto, a abertura de uma investigação por homicídio e tentativa de homicídio relacionada com uma organização terrorista, assim como por associação terrorista.

“Às 20:00 locais [19:00 em Lisboa], um indivíduo armado entrou no perímetro do mercado de Natal pela ponte de Corbeau e dirigiu-se à rua de Orfèvres. O indivíduo abriu fogo, ferindo várias pessoas”, anunciou o Ministério Público.

Segundo a polícia francesa, o autor do ataque, que continua em fuga, foi ferido numa troca de tiros antes de abandonar o local.

Mais partilhadas da semana

Subir