Velocidade

Tiago Monteiro: Equipa Ocean esclarece notícia publicada no Público

tiago monteiro oceans 1Na sequência de uma notícia publicada na edição desta segunda-feira, 10 de dezembro, no jornal Público, intitulada “O piloto Tiago Monteiro reclama seis milhões de euros que o Estado lhe prometeu”, a Ocenational Motor SA., proprietária da equipa Ocean, envolvida no campeonato GP2 Series, esclareceu algumas questões citadas naquele jornal diário.

Em primeiro lugar a formação de Tiago Monteiro e José Guedes recapitula todo o processo que levou à aquisição da equipa espanhola BCN e sua transformação na portuguesa Ocean Racing Technology, em que o Estado foi informado do projeto e das condições iniciais para financiamento próprio.

tiago monteiro oceans 1 big

A Ocenational esclarece no entanto que só avançaria para o projeto se o Estado considerasse ter interesse para o país e o apoiasse, de modo a que tivesse viabilidade económica nos seus três primeiros anos de vida. Tendo o Governo da altura, liderado por José Sócrates, respondido afirmativamente “em várias reuniões e troca de correspondência”.

Segundo a empresa detida por Tiago Monteiro e José Guedes, a partir esse momento a Secretaria de Estado da Juventude e Desportos assumiu o compromisso, que permitiu à Ocean avançar, fazendo “todos os investimentos a que se comprometeu e cumpriu com todas as suas obrigações contratuais, que foram desde a primeira hora determinadas pelo Estado, resultantes da sua condução e liderança de todo o processo”.

Desde então, a Oceanational Motor SA afirma que tem sido “muito penalizada a diversos níveis pelo não cumprimento dos pagamentos que já deveria ter recebido pelas obrigações que cumpriu. O que tem criado forte pressão sobre a tesouraria da empresa, dificultando o seu normal e merecido funcionamento”.

tiago monteiro oceans 2 big

Tiago Monteiro e José Guedes adiantam também que já foram obrigados “a tomar decisões de gestão altamente penalizadoras para a empresa em termos imediatos e de longo prazo, comprometendo e adiando o seu desenvolvimento devido ao desequilíbrio financeiro em que se encontra, como consequência deste prolongado incumprimento”.

Os responsáveis pela Ocean Racing Technology terminam o seu comunicado dizendo que esperam uma resolução do problema “em tempo útil, por forma a que ativos significativos para a empresa e para o país não se percam definitivamente”.

Tiago Monteiro e José Guedes entendem que ainda vivem num Estado de Direito, acreditando que esse mesmo Estado é uma pessoa de bem, que honra os seus compromissos, “seja para com um cidadão, uma empresa ou a troika”.

A Oceanational não avança um prazo para que se torne ou não viável a sua participação na próxima temporada dos campeonatos GP2 e GP3, em que esteve envolvida em 2012.

Em destaque

Subir