Nas Notícias

“Tenho esperança que o Bruno não tenha sido o mandante”, diz Eduardo Barroso

Eduardo Barroso diz estar “convicto” da inocência de Bruno de Carvalho. O antigo dirigente e personalidade reconhecida na vida leonina revela ter “esperança” de que Bruno de Carvalho “não seja o mandante” do ataque a Alcochete.

“Votei duas vezes em Bruno de Carvalho com consciência”, começou por dizer o antigo líder da mesa da Assembleia-Geral do Sporting.

Em declarações na TVI, Eduardo Barroso defendeu a sua ideia e diz que “ninguém” o pode criticar por ter esta crença.

“O meu sportinguismo dá-me a esperança de que ele não tenha sido o mandante. Tenho essa esperança, ninguém me pode criticar.”

A ideia de Eduardo Barroso é reforçada.

“Tenho muita esperança de que Bruno de Carvalho não seja o mandante”

Eduardo Barroso lembrou ainda que votou no agora destituído dirigente e deixa uma questão no ar, respondendo pelo sua parte.

“Bruno de Carvalho enganou os sportinguistas? Claro que não.”

Na TVI, o médico, que já desempenhou vários cargos dentro do Sporting, lembrou os números colhidos nos atos eleitorais por Bruno de Carvalho.

“Goste-se ou não de Bruno de Carvalho, nós todos, mesmo os 93 por cento que votaram (…)”

Na entrevista, Eduardo Barroso criticou os jogadores que rescindiram contrato alegando justa causa na sequência do ataque a Alcochete.

“Os jogadores aproveitaram-se daquele ato para as rescisões”, disse, crente de que “não há relação direta entre rescisões e Bruno de Carvalho”.

Bruno de Carvalho foi detido no domingo e será presente a um juiz de instrução criminal, nesta terça-feira, para primeiro interrogatório.

O antigo dirigente está detido por causa dos acontecimentos na Academia de Alcochete a 15 de maio, quando um grupo de adeptos do Sporting invadiu a Academia do clube, tendo agredido alguns jogadores.

82Shares

Em destaque

Subir