Fórmula 1

Táticas na qualificação em Monza merecem reprimenda

Os comissários desportivos tinham avisado os pilotos que iriam agir se vissem algum tipo de táticas menos claras durante a qualificação do Grande Prémio de Itália de Fórmula 1. E foi isso que fizeram, ainda que não os penalizassem.

Embora o Diretor de Corrida tivesse admitido que, no limite, poderia impor sanções como a descida na grelha de partida, a verdade é que Nico Hulkenberg, Carlos Sainz Jr e Lance Stroll se ficaram por reprimendas.

Na origem da posição da Federação Internacional do Automóvel (FIA) está o facto de vários pilotos reduzirem drasticamente o seu andamento e até falhar chicanes para tentarem a sua volta lançada depois dos seus adversários, e assim beneficiarem da melhor aspiração do carro à sua frente, já que Monza é o circuito mais rápido de todo o calendário e caracterizado por longas retas.

Os comissários desportivos consideraram que Hulkenberg, Sainz Jr e Stroll exageraram, estimando que os pilotos em causa “jogaram um papel significativo da constituição de um reagrupamento num momento crítico na última volta da terceira qualificação”, referindo que as diferentes decisões em relação ao alemão da Renault, ao espanhol da McLaren e ao canadiano da Raciibg Point vão levar a que “a FIA encontre um tipo de solução para este tipo de situação”.

Pode se dizer que no futuro podem começar a ‘chover’ penalizações e perdas de posições na grelha de partida que façam com que este tipo de táticas deixe de compensar.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir