Fórmula 1

Tática em Singapura não correu como Lewis Hamilton e a Mercedes esperavam

Lewis Hamilton reconheceu que a estratégia de paragens diferenciada entre os dois pilotos da Mercedes no Grande Prémio de Singapura não correu como esperava.

O britânico seguiu na ‘sombra’ de Charles Leclerc durante a primeira metade da corrida mas após os ‘pit-stops’ viu-se relegado para a quarta posição atrás de Max Verstappen, e nunca mais conseguiu incluir-se nas posições do pódio.

“Sabemos que cometemos erros hoje, mas nesta equipa ganhamos e perdemos juntos”, considerou Hamilton após a corrida. Admite que a estratégia foi debatida e a possibilidade desta tática alternativa foi analisada: “Falamos a eventualidade de fazermos isto na reunião antes da prova e queria correr o risco, mas depois a Ferrari decidiu parar. E nós fizemos o contrário e eu fiquei em pista”.

“Forcei bastante e os pneus comportaram-se bem, mas após algumas voltas começaram a perder performance”, contou também o Campeão do Mundo, levando a equipa Mercedes – pela voz do engenheiro Andrew Shovlin – a reconhecer que talvez tivesse sido preferível fazer parar Lewis Hamilton primeiro no lugar de Valtteri Bottas.

Para Toto Wolff as possibilidades ‘em cima da mesa’ na prova de domingo foram mal avaliadas: “Uma vez que nos falhou a ocasião (para parar), esperávamos criar uma oportunidade mais tarde na corrida preservando os pneus, mas o plano não resultou. Penso que tínhamos um carro capaz de ter conseguido a ‘pole’ e tivemos a ocasião da ganhar aqui, mas cometemos muitos erros”.

“Estamos conscientes de que não respeitamos os padrões que fixamos para este fim de semana. Vamos examinar isso e ver o que podemos fazer para melhorar na Rússia. Mas os dias difíceis são também aqueles que nos tornam mais fortes. Sochi, com as suas longas retas, será uma corrida difícil para nós. Temos de assegurar-nos de tirar o melhor partido do nosso conjunto”, acrescentou o líder da Mercedes-Motorsport.

2Shares

Mais partilhadas da semana

Subir