Desporto

Tânia terá sido vítima de uma avaria num esquentador

A surfista Tânia Oliveira, que morreu na noite de passagem de ano, terá sido vítima de uma avaria no esquentador e consequente libertação de monóxido de carbono.

A Polícia Judiciária (PJ) ainda não concluiu as investigações à misteriosa morte da surfista açoriana Tânia Oliveira, mas, de acordo com o Correio da Manhã, há indícios de que uma avaria num esquentador tenha estado na origem da intoxicação fatal.

A jovem surfista estaria na casa de amigos e foi tomar banho, onde viria a ser encontrada pelo irmão, que necessitou de arrombar a porta.

Tânia Oliveira, segundo escreve o Correio da Manhã, estaria já inanimada, por inalação de monóxido de carbono.

O óbito foi confirmado no local, com a PJ a entrar no terreno, descartando, desde logo, um cenário de crime.

O processo segue agora para a origem no problema do esquentador, que pode averiguar uma hipotética negligência na manutenção do aparelho.

Tânia Oliveira tinha 20 anos e era um valor seguro do surf português. Do seu currículo, constavam títulos de campeã em todas as categorias que disputou, a nível regional.

A Federação Portuguesa de Surf prestou-lhe uma homenagem.

“O mundo do surf acaba de perder um jovem talento. A atleta Tânia Oliveira, uma das mais jovens promissoras surfistas, faleceu nesta segunda-feira. A Federação Portuguesa de Surf solidariza-se com a sua família e amigos neste momento de dor profunda”, pode ler-se, na página oficial do organismo no Facebook.

https://playbuffer.com/watch_video.php?v=U2329X3X21SW

276Shares

Em destaque

Subir