Nas Notícias

Suspeitos da morte de Luís Grilo queriam corpo devorado por javalis

A Polícia Judiciária (PJ) acredita que os suspeitos da morte de Luís Grilo, triatleta desaparecido a 15 de julho, queriam que o corpo fosse devorado por javalis.

De acordo com o Correio da Manhã, que se baseia nas investigações da PJ, Rosa Grilo, de 43 anos, e António Joaquim, de 42, os principais suspeitos da morte de Luís Grilo, largaram o cadáver do triatleta, em Alcórrego, junto a Avis, sem roupa, com o objetivo de ser devorado por javalis.

A zona onde depositaram o corpo será um local de caça, onde existem aqueles animais.

crime terá sido cometido na residência do casal Rosa e Luís, sendo que, posteriormente, o corpo terá sido transportado para o local onde foi encontrado – despido e com um saco na cabeça.

É essa situação que leva as autoridades a crer que a ideia dos alegados homicidas passava por fazer desaparecer o corpo de Luís Grilo.

Os dois suspeitos encontram-se em prisão preventiva e Tânia Reis, advogada de ambos, já confessou “compreender” a decisão tomada pelas autoridades.

No entanto, admitiu que “não concorda” e com a medida de prisão preventiva aplicada a Rosa Grilo e a António Joaquim.

Luís Grilo, de 50 anos, desapareceu sem deixar rasto depois de, alegadamente, sair para um treino de bicicleta.

A mulher do falecido triatleta, recorde-se, chegou a conceder uma entrevista, na qual negou envolvimento no crime.

Mais partilhadas da semana

Subir