Nas Notícias

Surto de listeriose em Espanha já causou três mortos e cinco grávidas perderam bebés

O surto de listeriose em Espanha já atingiu 204 pessoas, causou três mortes e provocou cinco abortos, segundo o último balanço das autoridades espanholas hoje divulgado.

O Centro de Coordenação de Alertas e Emergências em Saúde (Ccaes) do Ministério da Saúde anunciou hoje a terceira morte de uma pessoa que consumiu algum dos produtos contaminados.

A vítima é um homem de 72 anos, doente terminal com cancro no pâncreas.

Até agora era conhecida a morte de uma idosa de 90 anos internada no hospital Virgen del Rocío, na cidade de Sevilha, e a de outra mulher de 74 anos que permaneceu no mesmo centro de saúde.

As autoridades anunciaram ainda que foram registados dois novos abortos na Andaluzia e um em Madrid, elevando para cinco o número de casos registados na sequência do surto de listeriose.

A Junta de Andaluzia confirmou hoje que as duas mulheres grávidas de oito e 32 semanas que se encontravam internadas nos hospitais sevilhanos de Virgen Macarena e Virgen del Rocío perderam os bebés.

Uma outra mulher grávida, que também consumiu carne contaminada, foi internada num hospital em Madrid e sofreu um aborto no primeiro trimestre da gravidez, segundo a Direção Geral de Saúde Pública.

A listeriose é uma infeção causada pela bactéria ‘Listeria monocytogenes’, habitualmente associada ao consumo de alimentos contaminados.

De acordo com informação disponível no ‘site’ SNS24 do Serviço Nacional de Saúde, a listeriose pode causar febre, calafrios, dores musculares, enjoo, vómitos, diarreia.

O surto de listeriose em Espanha começou em 15 de agosto e os produtos responsáveis pelo surto são “chincharrón” andaluz (gordura de porco frita), lombo de Jerez, lombo com pimentão, e lombo caseiro temperado com pimentão, da marca “La Mechá” tendo o Ministério da Saúde espanhol recomendado à população que não consuma os produtos de carne embalada desta marca.

Todos os produtos embalados identificados pelo Ministério da Saúde espanhol foram distribuídos na Andaluzia e em Madrid, exceto o lombo caseiro temperado com pimentão que foi comercializado apenas na Andaluzia.

Em Portugal, a Direção Geral de Alimentação e Veterinária esclareceu a 21 de agosto que a carne contaminada com a bactéria ‘Listeria monocytogenes’ da marca “La Mechá” e os produtos com origem no fabricante (Magrudis) espanhol, não são comercializados em território português.

Segundo as autoridades sanitárias espanholas existem 204 casos confirmados pela bactéria listeria, 197 na Andaluzia, a maioria em Sevilha (162).

Também existem casos confirmados em Cádiz (10), Granada (4), Huelva (17) e Málaga (4).

Do total de pessoas afetadas 58 por cento são mulheres, 31 delas em estado de gestação, 25 por cento dos casos têm 65 anos ou mais, praticamente sem diferenças por sexo (24 homens e 25 mulheres).

Nas demais comunidades, houve quatro casos confirmados em laboratório (um em Aragão, um em Castela e Leão, um na Extremadura e uma gestante de oito semanas em Madrid, que acabou por abortar).

Foram ainda notificados 66 casos prováveis e 58 suspeitos em Aragão, Astúrias, Canárias, Castela e Leão, Castela La Mancha, Catalunha, Comunidade Valenciana, Extremadura, Madrid e Melilla, muitos deles continuam em investigação.

Por outro lado, este Centro de Coordenação de Alerta lembra, mas sem o incluir na estatística nacional, o caso notificado a 23 de agosto de um cidadão inglês, diagnosticado em França a 16 de agosto e com histórico de consumo de carne de porco fria em Sevilha a 13 de agosto.

Mais partilhadas da semana

Subir