Desporto

Sporting desperdiça oportunidade única de resolver eliminatória em Alvalade

O Sporting venceu hoje o Basaksehir por 3-1, na primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa, mas desperdiçou oportunidade única de resolver já a eliminatória, tal a superioridade que exerceu sobre o adversário.

O domínio ‘verde e branco’ foi quase total e a equipa sportinguista chegou mesmo aos 3-0, com os golos de Sebastián Coates (três minutos), Andraz Sporar (44) e Luciano Vietto (51), mas permitiu que a equipa turca ainda reduzisse e deixasse em aberto a eliminatória, com o tento de Edin Visca (77).

Com efeito, não se esperava tal desnível entre um Sporting que vinha de uma fase menos boa e um adversário que, neste momento, discute o título na Turquia, mas os ‘leões’ foram tão superiores que podiam ter chegado ao intervalo a vencer por quatro ou cinco golos, com um pouco mais de eficácia na finalização.

Basta dizer que o Basaksehir não efetuou nenhum remate à baliza de Luís Maximiliano durante a primeira parte, o que traduz a total incapacidade da equipa para estender o jogo até à área do Sporting, mesmo não estando a sofrer uma pressão alta dos ‘leões’, que só aconteceu nos primeiros minutos da partida.

O Sporting fez uma primeira parte demolidora, com um jogo fluido, dinâmico, ao primeiro toque, a tirar partido de uma postura de espera e de um défice de agressividade dos turcos, para criar sucessivos desequilíbrios numa defesa ‘dura de rins’ e a cometer erros básicos de posicionamento.

O primeiro golo, logo aos três minutos, por Sebastián Coates, na sequência de um pontapé de canto, foi importante para dar confiança e galvanizar os jogadores do Sporting, que arrancaram para uma exibição inspirada.

Quando Sporar, à beira do intervalo, fez o segundo golo dos ‘leões’, que teve origem numa excelente abertura de Luciano Vietto para Ristovski e o consequente cruzamento deste para o desvio do esloveno para o fundo das redes, já o Sporting tinha criado oportunidades de golos para ter uma vantagem bem mais dilatada.

Sporar (seis minutos), Jovane Cabral (15), Vietto (21) e Acuña (41) tiveram todos oportunidades claras para dilatar a vantagem ‘leonina’, mas revelaram algumas deficiências na finalização.

Na segunda parte, o Sporting não tardou a chegar ao terceiro golo, por Luciano Vietto, aos 52 minutos, num lance de contra-ataque a aproveitar o balanceamento ofensivos dos turcos, mas notou-se a partir daí uma alteração de postura da equipa, que passou a procurar gerir o 3-0.

Nem essa mudança de postura fez com que o Basaksehir se tornasse mais perigoso no ataque, tanto mais que os turcos apenas por uma vez estiveram perto do 3-1 aos 60 minutos, mas Luís Maximiliano evitou com uma grande defesa.

Só que, ao jogar com o bloco mais baixo perante uma equipa que trocou um central por mais um ponta de lança e colocou mais gente na área, o risco de sofrer um golo numa bola parada ou por erro individual cresceu e isso acabou por acontecer, aos 77 minutos, numa falta escusada de Neto sobre Demba Ba, que originou o penálti cobrado pelo médio bósnio Edin Visca.

Mesmo assim, o Sporting só não fez o 4-1 por manifesta precipitação dos seus avançados, com o último passe a não entrar em situação de superioridade numérica ou na finalização dos lances.

Em síntese, o Sporting, levando um bom resultado para a Turquia, só se pode queixar de si próprio por manter o Basaksehir ainda na discussão de uma eliminatória que podia ter resolvido logo na primeira mão.

Jogo realizado no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

Sporting – Basaksehir, 3-1.

Ao intervalo: 2-0.

Marcadores:

1-0, Coates, 03 minutos.

2-0, Sporar, 44.

3-0, Vietto, 51.

3-1, Visca, 77 (grande penalidade).

Equipas:

Sporting: Luís Maximiano, Ristovski, Coates, Luís Neto, Acuña, Battaglia, Wendel, Vietto, Bolasie (Plata, 89), Jovane Cabral (Doumbia, 81) e Sporar (Pedro Mendes, 71).

(Suplentes: Diogo Sousa, Tiago Ilori, Doumbia, Eduardo Henrique, Rafael Camacho, Plata e Pedro Mendes).

Treinador: Silas.

Basaksehir: Mert Gunok, Júnior Caiçara, Ponck, Skrtel (Elia, 70), Clichy, Mahmut Tekdemir, Irfan Kahveci (Aleksic, 81), Visca, Gulbrandsen (Berkay Ozcan, 46), Crivelli e Demba Ba.

(Suplentes: Volkan Babacan, Ugur Ucar, Epureanu, Berkay Ozcan, Aleksic, Azubuike e Elia).

Treinador: Okan Buruk.

Árbitro: Anthony Taylor (Inglaterra).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Crivelli (57), Luís Neto (76) e Ponck (79).

Assistência: 27.392 espetadores.

0Shares

Em destaque

Subir