Nas Notícias

Soares abdica do Parlamento se Rio liderar o PSD: “Sairei pelo meu próprio pé”

Hugo Soares, o único deputado que compareceu ao desafio que Luís Montenegro lançou a Rui Rio, garantiu que abdica de concorrer a um lugar como deputado se o presidente do PSD for a eleições diretas… e ganhar.

O ex-líder parlamentar social-democrata é um notório apoiante de Montenegro e, depois deste ter desafiado Rui Rio, manifestou-se também a favor de eleições diretas no PSD.

“Houve um desafio claro para que houvesse uma clarificação de estratégia”, justificou Hugo Soares, em entrevista à TSF.

O deputado rebateu as críticas apontadas a Luís Montenegro por desafiar Rui Rio apenas um ano depois de ter prometido não o fazer.

“No Congresso de há um ano, [Montenegro] disse que discordava desta estratégia e que, se a sua avaliação viesse a estar correta, diria a seu tempo o que teria para dizer. Ele fez isso mesmo: esperou o tempo que achava que devia esperar”, defendeu.

“A gestão do tempo político é legítima para toda a gente”, sustentou, apontando o dedo ao atual presidente do PSD: “Durante muitos anos, Rui Rio foi sempre desafiado a candidatar-se à liderança do PSD e nunca o fez. Fê-lo quando entendeu que o devia fazer”.

“Luís Montenegro fez exatamente o mesmo. Não apresentando uma candidatura, mas desafiando o presidente do partido a convocar eleições diretas”, insistiu.

Em defesa de Rui Rio, uma vice-presidente do PSD, Elina Fraga, acusou Montenegro de “correr por lugares”, como o de deputado. “Patetice”, reagiu Hugo Soares.

“Acusar a candidatura de Luís Montenegro, que renunciou ao mandato no Parlamento, e dizer que ele está a ‘correr por lugares’ é algo que eu não queria classificar como patético, mas que anda lá perto da patetice, anda”, frisou.

O deputado recusa ser “um Cristo” do partido e garante que, se houver diretas e Montenegro perder, abdicará de um eventual lugar na lista para as legislativas.

“Rui Rio não tem que fazer de mim nenhum Cristo da política portuguesa. Sairei pelo meu próprio pé das listas, não sendo candidato novamente”, prometeu.

No entanto, o ex-líder parlamentar lembrou que não compete ao presidente do PSD escolher os candidatos a deputados “um a um”, mas sim acatar as recomendações “das concelhias e das distritais”.

“Rui Rio procurou sempre dividir o partido”, acusou Hugo Soares.

“Não teve capacidade de liderança, de união do partido e isso foi visível sempre nas suas atitudes críticas relativamente ao próprio PSD e aos seus militantes. Quem tem um líder que não acredita no seu partido não pode querer que esse seu partido tenha o reconhecimento dos militantes”, concluiu.

Mais partilhadas da semana

Subir