Fórmula 1

Sergey Sirotkin estava convencido de mais uma época na F1

Sergey Sirotkin foi dispensado pela Williams em favor de Robert Kubica, mas o piloto russo diz que estava convencido de que continuaria na Fórmula 1 em 2019.

Kubica será o companheiro de equipa de George Russell na próxima temporada, e Sirotkin terá perdido o seu lugar depois do patrocinador russo SMP ter decidido deixar a Williams.

Ao contrário de Sergey Sirotkin, Robert Kubica viu a petrolífera Orlen avançar num apoio à equipa britânica, sendo que George Russel, campeão em título de F2, tem o apoio da Mercedes, que fornece os motores à Williams.
Sirotkin diz que sempre esperou por uma segunda época: “Parecia bastante óbvio durante algum tempo que isso iria acontecer. Mas é a F1, é um mundo difícil. Para ter sucesso há tantos parâmetros diferentes, que infelizmente na maioria das vezes não têm em conta a performance do piloto”.

O russo de 23 anos marcou apenas um ponto no seu ano de estreia, conseguido com a desclassificação de Romain Grosjean no Grande Prémio de Itália. Mas Sirotkin derrotou Lance Stroll na ‘guerra’ interna na Williams em termos de qualificação, superando o canadiano em oito dos 17 Grandes Prémios.

Sergey Sirotkin refere também que quando Kubica foi anunciado como piloto da Williams para 2019 ele não queria acreditar. Isto apesar de na semana anterior a SMP lhe ter comunicado que não apoiaria mais a equipa britânica.

“Tivemos algumas reunião e percebi que não estavam a ir no sentido que eu queria. Claro que a SMP queria ser ser profissional e isso sinalizou-me que (a permanência) não ia acontecer. De qualquer forma mantive sempre a esperança de que algo mudasse. Tal não sucedeu”, afirma o piloto russo.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir