Motores

Sebastien Ogier alerta para o risco de furos na Alemanha

O primeiro pódio de Sebastien Ogier no Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) data de 2010 e foi precisamente conseguido no Rali da Alemanha. Mas o Campeão do Mundo alerta que os desafios da prova germânica são vários e os furos são um risco real.

Para o francês da Citroën nas especiais de asfalto, sobretudo as da base militar que o rali volta a ‘visitar’, uma boa gestão dos pneus vai essencial, sendo que se trata de um evento com características diversas de, por exemplo, a Volta à Córsega.

A comparação é lógica, já que se tratam das duas únicas provas do WRC disputadas completamente em pisos de asfalto, e mesmo para um especialista como Ogier e uma equipa que tem já 12 vitórias no rali alemão, o desafio é enorme.

O carro que o Campeão do Mundo vai usar na prova desta semana inclui uma atualização de motor, utilizando um dos ‘joker’ permitidos pelo regulamento do Campeonato do Mundo. A intenção é a de dar a Sebastien Ogier todas as ferramentas para se bater pelo melhor resultado e recuperar a diferença pontual para o líder do campeonato, Ott Tanak.

E o francês assume as suas responsabilidades: “O meu objetivo para a Alemanha, um rali onde sempre tive um bom rendimento, é garantir um resultado forte e alterar um pouco o rumo das coisas no campeonato”.

“Durante os testes, tivemos vários tipos de condições meteorológicas e isso é sempre positivo. O facto de irmos fazer a especial da base militar no sentido oposto ao habitual, pode torná-la, mais uma vez, numa especial decisiva, embora, nos últimos, a necessidade de fazer a gestão dos pneus não nos tenha permitido andar bem nesses troços”, reflete Ogier.

O campeão do Mundo acrescenta: “Continua a ser uma secção complicada, tal como o é uma boa parte do rali. O risco de furar é maior do que o habitual, com as bermas bem traiçoeiras nas estradas junto às vinhas, e as pequenas e pontiagudas pedras que acabam por aparecer no piso em Baumholder”.

Mais partilhadas da semana

Subir