Desporto

“Se Bruno de Carvalho tivesse bom senso teria tido sucesso”, diz Godinho Lopes

Expulso de sócio do Sporting, o ex-presidente Godinho Lopes lembrou que Bruno de Carvalho “escolheu três bons treinadores”, mas faltou-lhe “bom senso” para ter sucesso na liderança dos leões.

Numa entrevista à Sábado, o presidente do Sporting entre 2011 e 2013 confessou ter ficado “triste” com a gestão de Bruno de Carvalho.

“Ele tinha condições para fazer um bom trabalho”, argumentou.

“O sucesso num clube como o Sporting vem através do futebol e ele, ao escolher três bons treinadores (Marco Silva, Leonardo Jardim e Jorge Jesus), se tivesse bom senso e capacidade integradora, teria tido sucesso”.

Mas o único presidente destituído na história dos leões não é o único culpado: Godinho Lopes aponta também o dedo aos sócios que foram renovando a confiança em Bruno de Carvalho.

“Fiquei triste pelo facto de terem acreditado numa pessoa incapaz para gerir o Sporting”, afirmou.

“As pessoas não quiseram ver, porque alguém que até aos 41 anos nunca tinha sido nada, que faliu empresas, que tinha dívidas à Segurança Social, à banca, como é que chegava ao Sporting e tinha sucesso? Só com milagres, mas os milagres acontecem muito pouco”, reiterou.

Foi na presidência de Godinho Lopes que “houve mais títulos”, referiu ainda o ex-presidente.

“De resto, ele [Bruno de Carvalho] acabou a reestruturação financeira começada por mim, não fez mais do que a sua obrigação. Construiu o pavilhão João Rocha, que fui eu que lhe dei o nome e era um projeto que já vinha de trás”, salientou.

Godinho Lopes afirmou ainda que fez “milhares de coisas muito mais bem feitas em dois anos” do que Bruno de Carvalho em cinco.

“Dei seis anos da minha vida ao Sporting: quatro a construir o estádio e a academia e a reestruturar a área do imobiliário e dois como presidente”, recordou.

Ainda assim, Godinho Lopes foi expulso, num processo conduzido durante a presidência de Bruno de Carvalho.

“Os sócios é que decidiram se eu ficava ou saía. Se eles entenderem que devo voltar, que me convidem. Se entenderem que o Conselho Fiscal e Disciplinar me demitiu de forma incorreta, que me readmitam. Agora, não posso estar, ou querer voltar, a um clube onde não querem que eu esteja”, afirmou.

Mais partilhadas da semana

Subir