Nas Notícias

Sarmento ao ataque: “Passos Coelho tem que prestar contas”

Uma parte do PSD já conta o tempo para correr com Passos Coelho em caso de maus resultados nas autárquicas. Morais Sarmento já deixou o aviso: “Normalmente o PS abate os líderes na noite das eleições ou tendem a fazê-lo. Pedro Passos Coelho fez parecido”.

Em entrevista à Renascença, o ex-ministro, que se tem assumido como um dos principais críticos internos de Passos Coelho, alertou que a liderança do PSD está em jogo com as autárquicas.

“Normalmente o PS abate os líderes na noite das eleições ou tendem a fazê-lo. No PSD isso não vai acontecer. Luís Marques Mendes fez isso? Tende a copiar alguns maus exemplos do PS nesse aspeto e Pedro Passos Coelho fez parecido”, afirmou Morais Sarmento: “Esse é um PSD em que não me revejo”.

“Gostava que Pedro Passos Coelho pudesse rever aquilo que disse na noite das eleições a Manuela Ferreira Leite para perceber o que hoje lhe pode ser dito”, lembrou Morais Sarmento, insinuando que o agora presidente do PSD aproveitou os maus resultados nas autárquicas de 2009 para ajudar a fazer cair a então líder do partido.

Para o ex-ministro, a liderança de Passos Coelho não depende só das autárquicas: é preciso não esquecer que o PSD tem vindo a cair a pique desde as legislativas de 2011: “Muitos dentro do PSD dizem que o resultado [das autárquicas de 2013] já foi mau e pior não vai ser. Não. Não são os resultados de 2013 que me interessam. Pedro Passos Coelho tem que prestar contas da casa que recebeu e da casa que entrega”.

“No dia a seguir às eleições começa um processo natural de reflexão sobre os resultados”, concluiu Morais Sarmento: “Considerando que o PSD tem um congresso, é evidente que a reflexão que se inicia no dia a seguir às eleições vai ter um espaço principal que é esse congresso para as conclusões dessas reflexão, que dependem completamente do resultado”.

1039Shares

Mais partilhadas da semana

Subir