Motores

Sardenha é ponto de viragem para a Toyota

A Toyota aborda o Rali da Sardenha com a determinação, de modo a permitir a Ott Tanak aproximar-se dos líderes Thierry Neuville e Sebastien Ogier, ao mesmo tempo que Jari-Matti Latvala recuperou a confiança após os testes.

Disputadas que estão seis provas do Campeonato do Mundo de Ralis, a Toyota tem 138 pontos contra 175 da Hyundai, mas a equipa liderada por Tommi Makinen espera que a prova italiana do WRC permita recuperar parte dessa desvantagem.

Para que a Toyota possa de facto diminuir a diferença para a rival é preciso que no rali do próximo fim de semana Ott Tanak esteja ao seu melhor nível. O estónio, vice-campeão do Mundo em 2017, considera a Sardenha um momento crucial da temporada.

“Penso que será um ponto de viragem do campeonato. Estou mais satisfeito com o comportamento nestas últimas provas de terra, mais com a Argentina (que venceu) do que com Portugal. Resta-me transformar esta rapidez em resultado”, afirma Tanak, que quer esquecer o desaire na prova portuguesa, quando partiu o radiador do seu Toyota na 10ª especial.

Se o estónio é terceiro do ‘Mundial’ de pilotos, Latvala é apenas nono. O finlandês não pontua desde o Rali do México, por isso é fundamental um resultado positivo na Sardenha. Uma prova que lhe agrada particularmente.

“Gosto muito desta prova. As estradas têm uma base muito dura, com uma superfície em areia, que pode tornar a aderência precária para os concorrentes que passam primeiro na estrada. As especiais são estreias mas é possível andar depressa. Sinto-me bem em ir à Sardenha. Fiz dois dias de testes em Portugal sem o mínimo problema e o mínimo erro. Isso melhorou bastante a minha confiança, e aprecio cada vez mais guiar o Yaris”, reintera Jari-Matti.

Esapekka Lappi foi o melhor sucedido dos pilotos da Toyota em Portugal, e na prova do próximo fim de semana quer melhorar a sua quinta posição no campeonato, numa prova que em 2017 até nem lhe correu mal: “No ano passado ganhei cinco especiais. Depois aprendi bastante e o carro progrediu muito. Tenho a confiança necessária para atacar. As condições do terreno não me inquietam”.

Mais partilhadas da semana

Subir