Nas Notícias

SandSpace, a app portuguesa finalista numa das maiores competições mundiais

Quatro jovens portugueses criaram a SandSpace, uma app que indica a ocupação de 685 praias nacionais. A Agência Portuguesa do Ambiente acabou por se tornar parceira deste projeto, que agora participa numa das maiores competições mundiais de aplicações: o Apps for Good UK.

Uma app portuguesa está entre as finalistas do Apps for Good UK, uma das maiores competições mundiais de aplicações.

A SandSpace, que permite indicar e saber os níveis de ocupação do areal de 685 praias marítimas e fluviais de todo o país, luta pela vitória, sendo que o resultado da melhor aplicação criada por jovens será anunciado no dia 26 de junho.

Criada pelos alunos Bruno Dylan, Diogo Resende, Jorge Correia e Nuno Castro de São João da Madeira, a SandSpace surgiu com a aplicação do programa Apps for Good em Portugal e no contexto atual da pandemia da covid-19.

O objetivo deste projeto é permitir aos frequentadores de 685 praias portuguesas (em Portugal Continental e nas ilhas) obterem informação (e partilhá-la) sobre os níveis de ocupação do areal.

Os utilizadores fornecem a informação sobre a ocupação das praias, sendo que esses dados são processados e convertidos em indicadores gráficos, que apontam o verde como praia com pouca ocupação, amarelo como um número considerável de banhistas e vermelho como lotação completa.

O projeto já obteve o reconhecimento da Agência Portuguesa do Ambiente, que se tornou parceiro.

A SandSpace está disponível na Google Play Store.

Trata-se da única aplicação portuguesa criada por jovens finalista na competição do Apps for Good UK, o programa educativo tecnológico que desafia alunos e professores a desenvolverem aplicações para resolverem problemas sociais, que este ano – devido à covid-19 – será inteiramente online.

São 15 equipas finalistas, distribuídas por 5 categorias, sendo as vencedoras anunciadas no próximo dia 26 de junho, assim como o prémio do Público.

0Shares

Em destaque

Subir