Economia

Saldo da Segurança Social atinge em abril 98% do previsto para o ano

O excedente da Segurança Social aumentou 28 por cento em abril face ao período homólogo, para 1,6 mil milhões de euros, valor que corresponde a 98 por cento do saldo global previsto para o conjunto do ano, indicou hoje o Ministério do Trabalho.

Num comunicado sobre a síntese de execução orçamental publicada pela Direção-Geral do Orçamento (DGO), o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social destaca “o bom desempenho das contribuições e quotizações, alicerçado no dinamismo do emprego e dos salários” para justificar os saldos positivos.

Até abril, a receita da Segurança Social aumentou em 8,5 por cento face ao mesmo período do ano passado para 9.552,5 milhões de euros (mais 744,9 milhões de euros).

Já a despesa subiu 5,2 por cento para 7.953,8 milhões de euros, o que corresponde a mais 395 milhões de euros face a abril de 2018.

O saldo global foi assim de 1.598,7 milhões de euros, uma melhoria de 349,9 milhões (28 por cento) em termos homólogos “que representa já 98 por cento do saldo global previsto para o conjunto do presente ano”, salienta o ministério de José Vieira da Silva.

O aumento da receita deve-se essencialmente ao acréscimo das contribuições e quotizações em 8,4 por cento face ao período homólogo, ou seja, mais 442,9 milhões de euros, totalizando 5.724,3 milhões de euros.

Do lado da despesa, o acréscimo ficou a dever-se sobretudo aos efeitos conjugados dos aumentos da despesa com pensões e complementos, da prestação social para a inclusão e complemento, entre outras prestações sociais.

“A despesa com prestações de desemprego continua a evoluir favoravelmente, refletindo o bom desempenho do mercado de trabalho: registou-se uma diminuição de 25,6 milhões de euros da despesa, ou seja, uma redução homóloga de 5,8 por cento”, lê-se no documento.

Mais partilhadas da semana

Subir