Justiça

Rosa Grilo e António Joaquim “quiseram e tiraram a vida de Luís Grilo”, acusa o MP

Rosa Grilo e o alegado amante, António Joaquim, “previram, quiseram e conseguiram tirar a vida de Luís Grilo”, de acordo com a acusação do Ministério Público (MP).

Segundo a acusação, os dois arguidos “agiram em comunhão de esforços e de intentos”, executando um plano “previamente por ambos delineado e aceite”, cita o Diário de Notícias.

Esse planeamento, que antecipava o crime em sete semanas, contava já com as armas e munições que António Joaquim tinha em casa.

Na acusação, o MP criticou a “insensibilidade e indiferença pela vida de Luís Grilo”, apontando que Rosa Grilo e o alegado amante tinham como objetivo os 500 mil euros dos seguros de vida do triatleta.

As perícias efetuadas aos telemóveis dos arguidos e da vítima terão revelado comunicações que sustentam a teoria do crime planeado por Rosa Grilo e António Joaquim, apesar dos arguidos terem apagado as mensagens que trocaram.

A 15 de julho, trocaram 22 mensagens a definir “os últimos detalhes relativos ao plano por ambos delineado para tirar a vida de Luís Grilo, acordando desligar os respetivos telemóveis”.

“Entre 01.07.2018 a 24.08.2018, os arguidos Rosa Grilo e António Joaquim efetuaram, entre si, 931 (novecentos e trinta e um) contactos telefónicos sob a forma de chamadas de voz e mensagens com vista acertar os detalhes relativos ao plano por ambos delineado para tirar a vida de Luís Grilo e ocultar o corpo do mesmo, bem como iludir as autoridades policiais”, refere a acusação.

Ainda segundo o MP, foi António Joaquim o autor do tiro fatal.

Mais partilhadas da semana

Subir