Desporto

Ronaldo desafia fisco espanhol a provar os quatro crimes imputados

Cristiano Ronaldo recusou um acordo indemnizatório com o fisco espanhol. De acordo com o El Mundo, o jogador desafia a Autoridade Tributária a provar os quatro crimes fiscais que lhe são imputados. A acusação, diz a defesa de CR7, “não tem qualquer fundamento” e é “inconsistente”.

Suspeito de lesar as Finanças do país vizinho em 14,7 milhões de euros, pela não tributação de rendimentos auferidos através dos direitos de imagem, o jogador vai contestar a acusação de quatro crimes de fraude fiscal.

O El Mundo refere que os advogados de Cristiano Ronaldo apresentaram, no Julgado de Primeira Instância e Instrução de Alarcón, uma alegação de defesa, recusando um acordo com o fisco.

A defesa do avançado do Real Madrid sustenta que a acusação “é inconsistente” e “não tem qualquer fundamento”, pois é baseada “numa utilização arbitrária de critérios que são contrários ao Direito Tributário”.

É uma acusação que “é facilmente desmontável por um observador objetivo”, pois reduz todo o caso a uma simples “discrepância de critério” tributário, no entender dos advogados que representam CR7.

Em causa está, segundo a defesa de Ronaldo, a “qualificação tributária” do rendimento auferido por direitos de imagem, uma vez que estes são movimentados por uma sociedade offshore (a Tolin) e não em Espanha.

“A diferença está entre o que foi declarado [pelo contribuinte Ronaldo] e o que a inspeção [fiscal] considera atribuível [para fins de tributação] a Espanha”, frisam os advogados de CR7.

 

4Shares

Mais partilhadas da semana

Subir