Nas Notícias

Robles não se demite e lamenta campanha de “intoxicação”

O vereador do Bloco de Esquerda na Câmara Municipal de Lisboa, Ricardo Robles, considerou hoje ter condições para se manter no cargo e defendeu que o pedido de demissão feito pela concelhia do PSD não tem “qualquer base”.

Ricardo Robles, que assumiu os pelouros dos Direitos Sociais e da Educação na sequência de um acordo de governação da cidade firmando com o PS, falava aos jornalistas numa conferência de imprensa na sede do Bloco de Esquerda.

Questionado sobre se teria condições para continuar a integrar o executivo municipal, Robles foi taxativo: “com certeza que sim”.

Na conferência de imprensa, o vereador deu esclarecimentos sobre uma notícia avançada na edição de hoje do Jornal Económico, que dá conta que em 2014 o autarca adquiriu um prédio em Alfama por 347 mil euros, que foi reabilitado e posto à venda em 2017 avaliado em 5,7 milhões de euros.

Na sequência desta publicação, a concelhia de Lisboa do PSD pediu a demissão do vereador bloquista, acusando-o de “falta de ética, seriedade e credibilidade política”.

Em comunicado enviado às redações, o PSD de Lisboa exigiu “a demissão do vereador Ricardo Robles por manifesta falta de ética, de seriedade e de credibilidade política para permanecer no cargo de vereador na cidade de Lisboa”.

Em resposta, Robles afirmou que esta “exigência do PSD não tem qualquer base e apenas contribui para intoxicar a opinião pública”.

Mais partilhadas da semana

Subir