Nas Notícias

“Riqueza é ter muita gente a trabalhar para mim e eu trabalhar para as pessoas”, assume Rui Nabeiro

Rui Nabeiro é um dos maiores empregadores portugueses e assumiu, sem reservas, aquilo que é, para si, a “maior riqueza”. “Ter muita gente a trabalhar para mim e eu a trabalhar para as pessoas”, salientou o responsável pela empresa de cafés sediada em Campo Maior, no Alentejo. Aos 87 anos, recusa a reforma e assume que “trabalha para ganhar”.

Empreendedor e patrão de mais de três mil pessoas, Rui Nabeiro explica que vive da “inovação” e recusa-se a ficar “parado” até porque quer chegar aos 100 anos.

“Chega uma dúzia de anos mais, mas a minha intenção era chegar aos 100 anos”, salientou Nabeiro, que fala com orgulho da fama que tem no mercado de trabalho português.

“Tenho a fama de nunca ter despedido ninguém”, salientou, em entrevista citada pelo Dinheiro Vivo, reconhecendo que isso já aconteceu.

“Despedi, com certeza que sim”, salientou o empresário.

Na entrevista, inserida num ciclo de entrevistas a várias personalidades da vida pública portuguesa, em Lisboa, Rui Nabeiro salientou um dos seus lemas de vida.

“Eu distribuo mas recebo e também trabalho para ganhar”, assegurou, recusando o ‘título’ de que é ‘rico’.

“Tenho é de facto muitos sacos de café, muitos clientes, armazéns espalhados pelo país e quase 3400 pessoas a trabalhar para mim. As estatísticas ofendem sempre quem não tem nada, eu sou contra isso.”

Rui Nabeiro, de 87 anos, revelou ainda que no começo de cada semana coloca dinheiro no bolso e tenta-se ‘governar’ com esse dinheiro.

Se sobrar, coloca numa “latinha” que depois serve segue para a solidariedade.

Mais partilhadas da semana

Subir