Economia

Revolta na RTP pelas “contratações de luxo” para a direção de informação

As “contratações de luxo” de Cândida Pinto e Helena Garrido, para diretoras adjuntas, causaram revolta entre os trabalhadores da RTP, que lembram o incumprimento das decisões judiciais quanto à contratação dos precários.

Em comunicado, a Comissão de Trabalhadores (CT) da RTP admitiu a surpresa pela contratação de duas jornalistas externas (em especial Cândida Pinto, que é editora da SIC) por uma empresa que não atualiza salários há dez anos e “não cumpre decisões judiciais” para a integração dos trabalhadores precários.

“Não cabe a esta comissão pronunciar-se sobre as escolhas legítimas da diretora de informação [Maria Flor Pedroso] ou sobre as capacidades das jornalistas agora contratadas, sobre as quais nada temos a dizer, mas cabe considerar que a validação destas contratações de luxo pela administração da RTP é um escândalo sem fim”, considerou a CT.

Os trabalhadores apelam ao Governo para que ponha fim às “sucessivas decisões desastrosas” da administração da estação pública, como “a ‘novela’ da direção de informação” e a “gestão de recursos humanos”.

7Shares

Mais partilhadas da semana

Subir